Day-by-day

baby

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Último dia de licença...

...é mesmo hoje, fazendo bem as continhas. Nem me acredito que passou tão rápido, nem deu tempo para aquecer. Pensava que ia ter tempo para fazer uma data de coisas e está tudo por fazer. Pensava mesmo que ia conseguir trabalhar em casa enquanto o João dormia, mas não tive hipotese, a partir do 2º mês ele deixou de dormir o dia todo e passou a querer toda a atenção e mais alguma. Foram 120 dias muito intensos, até cansativos, mas também foram os melhores dias da minha vida. É inexplicável como um ser tão pequenino consegue enriquecer a nossa vida. Só agora é que parece que a vida faz algum sentido!
Agora vou começar uma nova fase e confesso que não sei muito bem como vai correr. Felizmente, nestes primeiros dias vou ter a ajuda do pai que vai ficar em casa com o João, mas em Janeiro vamos ter que iniciar novas rotinas, ao acordar e ao deitar. Antes ia no mesmo carro que o pai trabalhar, depois vamos ter que ir em separado porque o João tem horas certas para sair do infantario e o pai nisso não vai poder ajudar. Se antes era difícil de manter a casa arrumada agora nem quero imaginar como vai ser. O pai diz que me vai fazer bem ir trabalhar, sair do pé do João, mas eu cá acho que nos primeiros dias vou andar com o coração apertado. Enfim, vai ter que ser!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Mimo ou não?

Estão sempre a dizer que o João é um mimado, e que só chora porque lhe dou muito mimo. Eu cá acho que ele não é assim tão inteligente para fitar os pais com o choro. Se ele chora é porque quer comunicar, é porque alguma coisa não está bem, ou simplesmente porque quer atenção dos pais. E eu não vou deixar de lhe dar atenção só porque acham que ele fica mimado. Fica um artigo interessante que encontrei e que explica muito bem a minha posição sobre mimo.

Should I worry about spoiling my baby?

No. Young babies are completely spoil-proof. Your baby needs all the care and attention you can give. Ignore the advice of well-meaning relatives who think babies need to learn independence. Instead, listen to your parental instinct — that inner voice that tells you to comfort your baby when he cries.

"Spoiled children" have learned to use negative behaviour to get what they want. But your baby is too young to purposefully manipulate or annoy you. He cries to communicate his needs, whether they're for a snack, a dry diaper, or a little cuddling with Mom or Dad. When you respond quickly to your baby, you're building his sense of self-worth. You're also establishing a foundation of trust that can last for years to come.

If you give your baby prompt attention, he'll feel more secure and less anxious, giving him the courage to explore the world on his own. And once he understands that you take his cries seriously, he'll be less likely to cry for no reason. In the long run, responding quickly to your baby's needs will make him less clingy and demanding, not more.

By the time your baby is 6 to 8 months old, he'll be paying close attention to cause and effect — noticing, for instance, that his bowl falls when he drops it from the highchair. He'll also start to see a direct link between his actions and your responses. At this point it's okay to set some limits. If your baby starts crying to get something he doesn't need, hold your ground and give him a hug when he calms down. Similarly, give hugs and praise for good behavior and gently redirect him when he's doing something hazardous.

The right blend of love and guidance will eventually help your child understand his place in the world. But for now, your focus should be on giving him as much attention and comfort as you can. No matter how much you give, it's not more than he needs.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

FCP vs SCP...

...continua no ar qual será o clube que o João vai escolher, isto porque a mãe é portista e o pai sportinguista.
No passado domingo tivemos a ver o jogo de futebol do SCP-FCP e ficou prometido que se o Porto ganhasse o João iria vestir o equipamento do Porto que herdou do pai. Sim, porque o pai mal nasceu veio um portista ferrenho que lhe ofereceu o equipamento.


Mesmo assim ele preferiu ser sportinguista (vai-se lá entender porquê). Só espero que o filho não lhe siga as pegadas. Viva o FCP.



Nota 1: na primeira fotografia temos o pai P., vestido a rigor.
Nota 2: a camisola não serviu ao João! Não sabemos bem porquê, mas também não era esta a que o pai tinha vestida. Temos que perguntar à avó!!
Nota 3: também tiramos com o cachecol do sporting para o pai não ficar triste :)

sábado, 8 de novembro de 2008

3 meses

Eu sei que isto de andar a festejar o nascimento do João todos os meses pode parecer exagerado, mas a verdade é que festejo todos os dias desde que ele nasceu (só não posso é andar a comer bolinho todos os dias :)).
O João já parece um menino crescido (como podem ver nas fotos), mas continua uma fofura de bebé. Ele interage cada vez mais com as pessoas, devolvendo-lhes sorrisos e gargalhadas ou até mesmo um beicinho de descontente. Já acha piada aos brinquedos apesar de não os conseguir agarrar (mas já se vai esforçando).
Crescer é muito positivo, mas também tem os seus aspectos menos positivos. Tenho notado que o João já começa a ter medo de barulhos repentinos, de movimentos mais bruscos. Faz beicinho quando se depara com algumas pessoas e até já sabe quando falam mais rispido com ele, pois desata numa choradeira.
No que toca a dormir, está muito menos dorminhoco e quer permanente atenção quando está acordado. Apesar da mãe dizer que tem boas noites de sono o João continua a acordar de 3 em 3 horas para comer. O que me vale é que ele mama em 5 minutos e volta a dormir, por isso é que não me queixo.
A última novidade é que já se consegue sentar mais direitinho. Afasta as pernas e ergue a cabeça para se equilibrar e parece que fica todo contente com o novo ponto de vista. Observa tudo com muito cuidado, fixando pontos novos durante algum tempo e procurando tudo o que mexe, faz barulho e é colorido (ou seja, não é nada superdotado :)).
Decididamente, o João está viciado na mãe porque, mesmo no colo do pai, segue a mãe com o olhar para todo o lado. Acho que não vai ser nada fácil daqui a um mês quando tiver que voltar ao trabalho. Até ao final do ano ele ainda vai ficar com o pai em casa, mas em Janeiro vai conhecer o infantário, novas caras, nova cama, um ambiente totalmente novo e não sei se vai gostar muito da ideia de não ter a mãe por perto. Na verdade, acho que me vai doer mais a mim do que a ele, mas ainda falta um mês e vou aproveitar todos os segundos para estar com ele. Isto de ser mãe é muito bom, mas dói um bocadinho!

Ontem o João teve direito a mais um bolinho de maçã (receita tirada deo site do Dani), que estava um bocadinho escangalhado, mas estava muito bom. Os papás aproveitam sempre a deixa para se divertirem e brindaram com champanhe e uns copinhos de ginga que os amigos C. e H. trouxeram.



terça-feira, 4 de novembro de 2008

As mãos


Já há uns dias que o João tem vindo a descobrir as mãos. E como seria de esperar ele agora não tira as mãos da boca, consegue introduzi-las quase por inteiro :s. Até fico angustiada com medo que ele se engasgue. Conclusão, com a descoberta das mãos lá tivemos nós que introduzir as babetes, pois agora são rios de baba que saem pela boca fora. Mesmo quando está a ver TV faz bolinhas com a saliva e molha-se todo. É giro vê-lo a olhar para as mãos e a tentar agarrar o que lhe aparece pela frente.


É uma Maria...

...a prima do João. Ficamos a saber da novidade hoje e estamos muito felizes pelos futuros papás. Esperamos que corra tudo muito bem e que nasça uma rapariga bonita e saudável!

Parabéns!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

O Pai??

Pois é, o João não pára de perguntar pelo pai. É que esta semana ele teve que ir trabalhar para longe (lá pelos mares madeirenses) e pela primeira vez o João não vê o pai há uns dias. Isto sem ele não é o mesmo, faltam aquelas macacadas que só ele sabe fazer, falta o colinho dele lá nas alturas, falta muita coisa que o João está habituado diariamente. Mas é sem dúvida no banho que ele deve fazer mais falta. Estamos sempre lá os três, na hora da banhoca, porque duas mãos não chegam para dar um bom banho. E nestes últimos banhos só lá tem estado a mãe, a tentar desenrrascar-se sozinha.
Sr. Pai, vê lá se voltas para casa rapidinho que a mãe e o João estão com muitas saudades tuas!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

A ver TV

Ontem pela primeira vez experimentei sentar o João em frente à televisão e qual não é o meu espanto ele ficou animadissimo a ver o BabyTV durante quase uma hora. Fiquei mesmo surpreendida, pois ele ria-se, palrava e agitava os braços no ar, como se estivesse a interagir com a televisão. Mas tem que ser aquele canal, pois aos outros ele não acha piada. Eles sem dúvida que sabem como cativar um bebé/criança, é tudo muito colorido, com muitos sons e animação. Só tem um problema, por este andar ele aprende a falar primeiro inglês do que português. Vejam só a animação que foi!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

2 meses...

...já passaram! O João é o orgulho da mãe e do pai e está cada vez mais fofinho. Apesar das gramas a mais, ele está muito, muito lindo.
Ontem o João completou 2 meses de vida e teve direito a festa. A mãe fez um bolinho, convidou os avós e os amigos e cantou os parabéns. Ele ouviu com muita atenção e quase, quase que apagou as velas :).


sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Pirata constipado

O piolho deixou de ser piolho e passou a ser pirata, porque ele de piolho não tem nada (como já todos constataram). Com menos de dois meses o menino João já tem um feitiozinho bem característico. Adora andar pendurado no ombro da mãe ou do pai, com a cabeça bem erguida (parece que vai na popa do navio) e com uma expressão mesmo à pirata. Tem sido mesmo a posição em que ele não chora (manhoso), temos mesmo que andar pela casa fora (a ver os candeeiros todos), senão não pega.

Ontem o pirata apresentou-nos mais uma novidade - um nariz todo ranhoso e entupido. Pois é, não escapou à onda de constipações que anda por aí. Mas para já não tem mais sintomas, para além da congestão nasal e espero que fique por aí.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Dia Mundial da Música

Apesar de já ser muito habitual ouvir música, ultimamente, a discografia mudou radicalmente a favor dos ouvidos do little John. Em casa ou no carro giram 3 cds das Músicas da Carochinha. Mesmo quando a música não está ligada estou sempre a cantarolar uma ou outra música e pelos vistos o pai Pê também está contagiado, mesmo quando está a trabalhar tem as músicas na cabeça. E como hoje é o dia Mundial da Música, recomendo a todas as recém mamãs a ouvir os cds da Carochinha, tem músicas de todas as épocas, sabe bem recordar.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

O tempo passa a voar...

...e eu nem tenho tempo de actualizar o blog. É claro que o nosso Joãosinho está bem, crescido e de boa saúde. Ao fim de quase dois meses já começa a interagir com os papás, sorrindo e balbuciando. Os papás por outro lado estão cada vez mais patarecos. É vê-los a imitarem o João com guuhh, baahh e muita gargalhada à mistura. Acho que por este andar, em vez de ser o João a aprender a falar são os pais a desaprender :).

Na última consulta, a pediatra voltou a ficar espantada com o crescimento do João e nem se acreditava que ele só bebia leitinho da mãe. Disse que era um leite precioso e que deveria começar a guardá-lo, para o caso de ser necessário mais tarde. Lá fui eu comprar uma bomba de retirar leite e só por curiosidade decidi dar um biberão ao João, para saber quanto é que ele estava a beber. Bem, dei-lhe 150ml e depois ainda teve que ir à mama mais uns minutos porque não estava satisfeito... é mesmo comilão. Resultado, ele já engordou quase 2 Kg em mês e meio e saltou do percentil 75 para o percentil 90. Não tarda nada anda metido em dietas :).


domingo, 21 de setembro de 2008

Parabéns Pai Pê...

...por mais uma volta completa ao sol, e já vão 26! Não sei se te sentes mais velho, mas pelo menos, mais rico estás. Neste último ano foram só desafios e mudanças e em todos saíste a ganhar. Que este novo ano seja ainda mais positivo, quanto mais não seja eu vou arranjar maneira de te fazer sorrir muitas vezes.

Beijo grande

João

PS. a mãe também deixa muitos beijinhos de parabéns!

domingo, 7 de setembro de 2008

Um mês...

...faz o nosso Joãosinho! Apesar de ter passado a correr foi um mês estupendo, cheio de novidades e alegria. Acho que o sentimento é mesmo de felicidade. Não há um único dia desde que o João nasceu em que não sorria, o ambiente é muito contagiante, e todos que por cá passam saem daqui com um sorriso no rosto. Mesmo quando ele chora fico feliz por saber que sou eu a potencial salvadora daquele choro. Basta quando ele pára de chorar a olhar para a mãe e a fazer um beicinho delicioso, como quem diz "ai mãe, se não fosses tu..." ou aquele suspiro profundo de quem está muito magoado "porque é que demoraste tanto a pegar a mim?". É uma grande alegria ser mãe de um piolho tão lindo!

A evolução dele tem sido estupenda, já reconhece a mãe e o pai ao longe (pela voz), já lhe conseguimos arrancar uns sorrisos (com muita palhaçada à mistura, claro), já descobriu que consegue produzir sons (para além do choro), como "aargh" e "buuh" e sabe por a língua de fora :P. Tem muita força nas pernas e no pescoço e quando damos por nós já ele se virou para um lado ou para o outro. De barriga para baixo, ergue o pescoço até cima e começa a dar lanço com a perna e os braços para se voltar para cima. E consegue, o malandro! Já conheço os choros dele, de mimo, de dor, de fome. É de facto um ser inteligente, que de tão cedo consegue manipular as pessoas à volta dele com um simples berro. Tem uma característica muito particular, sempre que começa a chorar ou a ficar mais nervoso treme com lábio inferior, como se estivesse com frio.

Os seus hábitos diários continuam muito regulares. Dorme bem, em qualquer sitio com qualquer barulho, às escuras e à luz. Come ainda melhor e parece que nunca está satisfeito porque raramente arrota (mas também não vomita) e consegue estar algumas horas sem comer, desde que esteja a dormir. Assim que acorda a primeira coisa que faz é procurar a mama com o bico aberto como os passarinhos, e claro que se demorar mais que um minutito já temos choro. No banho é uma delicia, começa a chorar assim que lhe tiram a roupa, mas mal entra na água cala-se e começa a dar às pernas. Gosta mesmo de estar debaixo de água. Eu já tenho alguma dificuldade em lhe dar banho porque ele está pesadito e não é fácil segurar nele com uma mão com ele sempre a dar às pernas.

Hoje fizemos a nossa primeira grande viagem e fomos festejar um mês de vida a Amarante a casa dos tios e padrinho. O João apanhou muito ar fresco, dormiu ao ar livre enquanto os pais se deliciavam ao sol e davam uns mergulhos na piscina. Espero que para o ano ele já possa ir connosco para dentro de água :). Ficam as fotos!



quarta-feira, 3 de setembro de 2008

A crescer...

...a olhos vistos, literalmente. O João está enorme. As roupas vão ficando apertadas e as maiores vão ficando à justa. Até as fraldas já subiram de número. Hoje fomos conhecer a médica de família e lá voltamos a tirar novas medidas. Assim, temos:

Nascimento (07/08/2008)
peso = 3900gr
comprimento = 51 cm
perímetro cefálico = 37.5 cm

19 dias (26/08/2008)
peso = 4500gr
comprimento = 54 cm
perímetro cefálico = 39.5 cm

27 dias (03/09/2008)
peso = 4810gr
comprimento = 54.5 cm
perímetro cefálico = 40 cm

E acho que ainda lhe roubaram no comprimento porque ele não parava quieto :). Está basicamente tudo no percentil 75 e por isso a maminha é para continuar a dar sempre que ele pedir.
As primeiras vacinas também já foram dadas. Ele portou-se muito bem e só chorou um bocadinho. Tinha receio que ele ficasse doentito, com febre ou mal humorado, mas não, ainda dormiu melhor nessa noite. Ele sem dúvida que sai à mãe no feitio. Não tem medo de ir ao médico, nem de apanhar umas picas e gosta de dar umas voltas de carro (mal se senta na cadeira adormece logo!).
Quanto às diferenças fotográficas, deixo para tirarem as vossas ilações ;)

À esquerda dia 07/08, à direita dia 01/09

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

1ª consulta no pediatra

Ontem foi dia de ir à pediatra pela primeira vez. Nós estavamos um bocadinho apreensivos porque já tinham passado 19 dias e ainda não tinhamos ido. Mas felizmente estava tudo muito bem.
Tanto o João como a mãe receberam os parabéns da médica. Transformando isto em números o João já pesa 4500gr e mede 54cm e a mãe já perdeu 16Kg.
A partir de agora o João já não precisa de comer de 3 em 3 horas, mas apenas quando tiver fome, o que para nós é bom, pois passava a vida a acordá-lo para comer. Mesmo assim, penso que ele já apanhou algum ritmo e, mais meia hora menos meia hora, tem acordado para comer.
O que tem dado mais que fazer são as cólicas. Definitivamente, ele tem muitas cólicas e quando doem chora a valer (com lágrimas e tudo). A pediatra receitou umas gotas para ver se ajudam um bocadinho e a mãe vai continuando com as massagens na barriguita que são um consolo para o piolho. Na sexta-feira é dia de vacinas vamos a ver como é que corre!

domingo, 24 de agosto de 2008

O parto II

Como o post anterior é chatinho de ler ficam algumas das fotos tiradas no dia do parto (exclusivas)!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

O parto

Finalmente um tempinho para actualizar o blog e para agradecer todo o carinho e força que tenho recebido da família, amigos e visitantes do blog.

Já faz hoje quinze dias que o João nasceu e ainda parece que foi ontem. Correu tudo tão bem, e tem continuado a correr, que dá vontade de ter uma dúzia de filhos ;). Os pormenores que se seguem são um tanto ao quanto chatos para ler. Acredito vivamente que ninguém tenha paciência para ler, mas fica o registo para mais tarde recordar...

Como eu já tinha dito, o parto foi de cesariana e já tinha sido marcado na última consulta. O dia ficou no segredo dos deuses (quase) porque eu e o Pê queriamos viver o momento a dois com muita cumplicidade, sem stresses e sem preocupar ninguém. Fomos uma bocadinho egoístas, desculpem aqueles que também queriam participar, mas era demasiado importante para partilhar. Como soubemos uma semana antes deu tempo para preparar tudo para receber o João da melhor maneira. Foram feitas as compras de última hora, as arrumações na casa e tentamos gozar os últimos dias a dois, a fazer aquilo que sabiamos que tão cedo não poderiamos fazer. Coisas tão simples como tomar café com os amigos, beber umas caipirinhas, fazer praia...jogar poker :):)! Foi uma semana em grande, com toda a gente a dizer que tinha que descansar para me preparar para os dias que ai vinham... mas eu sou demasiado irrequieta para essas coisas, nem mesmo a constipação me parou!

O dia 7 lá chegou, dormimos bem, acordamos bem dispostos, tiramos as últimas fotografias à barrigona e lá fomos nós para a clínica. A cesariana estava marcada para as 11h, mas às 10 e pouco já eu estava instalada no quarto 12 (o melhor da clinica, segunda as enfermeiras) na treta com o Pê e calminha (como sempre). A equipa médica ia aparecendo aos poucos. Primeiro a enfermeira, depois o obstetra, a enfermeira parteira e até a anestesista se apresentou. Comentário à parte, o Pê não sabia que haviam anestesistas tão jeitosas como aquela morena de tacão alto que entrou por ali a dentro :D!
A enfermeira parteira pôs-me a fazer um CTG para ouvir o batimento cardiaco do piolho e só por curiosidade para ver se haviam contrações. Para variar o João estava calminho e contrações nem vê-las. Por volta das 11:30 lá fomos nós para a sala de partos que ficava no andar de baixo. Eu queira ir a pé e as enfermeiras riram-se e lá me obrigaram a ir deitada na caminha (ainda estou para perceber porquê, não me doia nada!). Quando me passaram para a marquesa o primeiro sinal de nervosismo apareceu, por muito que me esforçasse não consiga parar de tremer . Achei mesmo estupido e só consiga pensar : "porque é que as pernas não param de tremer?".

Deu-se início ao espetáculo: ligaram-me fios e mais fios e a puseram as máquinas a apitar. Quando a anestesista me mandou sentar, as pernas lá pararam de tremer (acho que era sangue a mais no cerebro por estar deitada) e claro que veio o medo da epidoral. Dizia para mim mesma repetidamente, "isto não custa nada"...e não custou. Faz uma impressãozinha mas é perfeitamente suportável e indolor. Passados poucos minutos já não conseguia mexer as pernas sozinha e já estava rodeada de gente (eram oito da equipa médica). As tensões estavam altas (acima dos 16) e a anestesista confiante disse que era optimo para aguentar a anestesia sem desmaiar. Optimismo a mais, pois elas desceram e eu é que tive que avisar que ia desmaiar. Nada como uma mangueirinha a lançar oxigénio para a cara para voltar ao estado normal. Quando dou por mim já tinha o Pê sentado ao meu lado "com a mangueira na mão" ;)! Ah pois, ainda não tinha dito, mas o Pê depois de muita indecisão optou por ir assistir. E pelos vistos adorou! Acho que estava tão excitado com a situação que se esqueceu da parte do sangue e das agulhas de que tanto tinha medo.

Posto isto, já só faltava pôr o rapaz cá fora. As enfermeiras deram um empurrãozinho na barriga e às 11:52 já o João chorava, todo engasgado. Eu não vi, mas o pai fotografou, o João virado de cabeça para baixo com uma circular no pescoço. O obstetra mostrou-mo num relance e levaram-no logo para o limpar e vestir.

Esta foi de longe a pior parte! Senti-me completamente sozinha, apesar da equipa medica continuar à minha volta. De um momento para o outro fiquei sem o meu João, que tinha andado colado a mim durante tanto tempo, e sem o Pê que foi a correr atrás dele (tinha pedido previamente ao Pê para não o perder de vista). Só o ouvia a chorar na sala ao lado, com conversas e risos à mistura das enfermeiras que estavam a tratar dele. Este foi o aspecto mais negativo de fazer cesariana, não poder pegar logo, logo no meu filhote!

Entretanto, ficaram a tratar de mim, a coser, a administrar antibióticos e coisas do género. Pelos vistos reagi mal à medicação porque as tensões voltaram a descer e acabei por vomitar. Nada de grave!

Ainda estava na parte de cosedura quando aparece o pai Pê com o nosso filhote já vestidinho todo embrulhado numa mantinha. Foi o meu primeiro contacto com ele. ....hhhaaa, acho que não tenho adjectivos para descrever o que senti. Demasiado emocionante, nós os três juntos pela primeira vez. Penso que é uma imagem que tão cedo não vai desaparecer da minha memória.

E pronto, em menos de uma hora já estava de volta ao quarto deitada com o meu piolho a tentar amamentar. As horas que se seguiram não foram as melhores porque passou o efeito da anestesia e começou-me a doer todos os pontos do corpo. Valeram umas doses de morfina para aliviar um bocadinho mas não o suficiente para me conseguir mexer sem dor. Enfim, foi uma noite longa marcada pela fome e muita, muita sede, já que não podia beber nem comer. Para ajudar à festa estava toda ranhosa e cheia de tosse, ainda da constipação. As enfermeiras insistiam para que eu dormisse, mas não conseguia. Só mesmo depois de já ter nascido o sol é que dormitei uma meia-hora, minutos preciosos estes que me retiraram metade das dores. Incrivel, como dormir faz tão bem!

Durante a manhã já só queria sair da cama e tomar um banho. Tinha suado a noite toda e tinha comichão em todo o corpo. Perguntei se o podia fazer a uma das enfermeiras e ela disse que só à noite. Voltei a perguntar a outra e ela disse: "Se se conseguir levantar, pode ir!". Palavras mágicas, acho que se tivesse que ir de gatas, ela deixava, tal era o meu desespero :). E sim, consegui levantar-me e tomar um duche rapido. A partir daí já ninguém me apanhou mais na cama. O médico quando lá entrou deu-me os parabéns pela recuperação e riu-se. "Por este andar amanhã tenho que vir aqui, depois do torneio de golf, para lhe dar alta!". Fiquei radiante, estava convencida que ia ter que ficar ali até segunda-feira e afinal no sábado já estava em casa. Foi uma cesariana de 48h, mais rápido que muitos partos normais.

A primeira grande dificuldade com o João, foi amamentar. O João comia desalmadamente e o colostro não chegava para lhe tirar a fome. Na clínica davam-lhe sempre o suplemento e por isso quando cheguei a casa tive que fazer o mesmo. O stresse foi tanto que o pai foi na mesma noite comprar material para facilitar a preparação dos biberões. Sim, eu estava decidida a amamentar e por isso não tinha comprado nada. Só ao quarto dia é que o leite desceu e consegui arrumar com os biberões. Desde então que o João nunca mais bebeu suplemento e aparentemente não precisa.

Tirando isto, tem tudo corrido lindamente. O João come e dorme, de dia e de noite. Tenho mesmo que ir acordá-lo para comer, senão acho que dormia a noite toda. É um soneca como o pai :)! Todos me perguntam se ando cansada e a dormir mal. Não, durmo bem, com a interrupção de uma horita para mamar a meio da noite. Só espero que continue assim, sem problemas!


sábado, 9 de agosto de 2008

Já somos 3...

...em casa. O JOÃO nasceu há dois dias, dia 7 de Agosto, de cesariana electiva com 3900gr e 51cm. Correu tudo tão bem que ao fim de 48h já estamos todos em casa. Apesar de estarmos todos rotos e cansados, estamos muito felizes!

Para já fica só a novidade, depois conto mais promenores!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Mesmo na recta final...

... e depois de aguentar bem firme estas 40 semanas, parece que o corpo decidiu fraquejar e estou com uma valente constipação :(. Com esta já não contava, mas parece que veio mesmo em força e não está a dar tréguas. Ao terceiro dia decidi ligar ao médico e ele lá me receitou uma data de medicamentos, para o nariz entupido, para a garganta, o inseparável benuron e um antibiótico. Decidi deixar de parte o antibiótico porque acho que não vai ser nada favorável para o meu piolho. Só mesmo no caso de aparecer uma febre é que o tomo.
Apesar de tudo, o João continua a preferir estar dentro da mãe, por muito apertadinho que esteja e não vai ser uma constipaçãozeca que vai levar a melhor!
Está tudo preparado para ele nascer, acho que finalmente até eu já estou pronta e com muita vontade de ver o meu pequenino. Venha ele!!!

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Alterações físicas

Um dos medos de qualquer mulher quando engravida são as alterações corporais que não dão hipotese de escolha. Há gravidas que fazem tudo para controlar o peso e outras que aproveitam a desculpa para fazer os maiores disparates alimentares. O que não foi o meu caso, nem fiz nada para controlar o peso nem me pus a comer que nem uma maluca. Penso que o próprio organismo trata de excluir/incluir os alimentos e as quantidades necessárias. Consegui chegar às 38 semanas com 7/8 Kg a mais. Claro que à primeira vista as alterações físicas são bem evidentes, pelo menos no que toca à barriga, ao nariz e aos pés. O nariz, realmente, ficou mesmo batatudo, a barriga parece que carrega um bebé de muitos kilos (tb não são poucos, ontem já ia nas 3700gr) e os pés, coitaditos parecem mesmo uns cepos. A pedido de muitas famílias fica aqui a prova fotográfica da barriga com 38 semanas e dos cepos que não cabem em calçado nenhum.

terça-feira, 29 de julho de 2008

A casa do João...

...tem sido preparada com algum cuidado. Achamos que um quarto só para ele seria desperdício de espaço, pelo menos nos primeiros tempos, mas para compensar vai ter direito a três caminhas, uma para dormir nos primeiros meses com os pais, outra para dormir mias uns meses sem cair ao chão e finalmente um beliche para partilhar com amigos ou futuros irmãos. Por isso camas não faltam!


Tem ainda uma casa-de-banho só para ele com uma banheira azul para os primeiros meses.



Tudo o resto vai vindo com o tempo. Já consigo imaginar a barafunda que vai ser com as coisas dele espalhadas pela casa. Que bom!!!

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Faltam duas semanas...

...e o João continua a preferir o ambiente aquoso e quentinho dentro da mãe! O único sinal de parto vão sendo as contracções que aparecem esporadicamente, nada de relevante.
Esta semaninha de férias não deu para descansar muito (eu acho que não sei muito bem o que é descansar, ou pelo menos não consigo). Estive finalmente a preparar as malas para a maternidade (parece que falta sempre qualquer coisa), andei a fazer compras, a arrumar a casa, enfim não consigo estacionar. Mas também, só de pensar que vou ter que ficar uns dias enfiada numa cama já fico deprimida. O pai Pê até se tem perguntado se a depressão é pós-parto ou pré-parto (coitado, é ele que leva comigo)!
O João (e a mãe) tem recebido muitas prendinhas, mas não tenho tido tempo de as pôr aqui. Hoje vai assim tudo numa acentada só. Espero não me ter esquecido de ninguém.


sexta-feira, 18 de julho de 2008

Férias...


...finalmente de férias. Eu disse que aguentava até ao final do tempo, mas estas 2/3 semanas de férias antes do piolho nascer vão saber muito bem. Está muito calor, a barriga pesa imenso (apesar de não ter dor nas costas nem em nenhum musculo em particular) e os pés batem records de crescimento. Acho mesmo que só os pés me convencem que tenho que parar e descansar. Já não consigo calçar nada fechado e os chinelos já são três numeros acima do habitual. Nem forma de pés têm...
Pena que tenha que passar estes primeiros dias sozinha, pois o pai Pê só entra de férias no inicio de Agosto, mas vou aproveitar para por tudo em ordem e descansar.
Hoje estamos mais tristinhos porque o Pê teve que trabalhar fora do Porto por 3 dias. Apesar da C. ter ficado a fazer-nos companhia (obrigada amiga!), não há nada como o miminho do pai antes de dormir. É só mais uma noite...

domingo, 13 de julho de 2008

Ponto de situação

Estamos a 30 dias do fim (mais coisa menos coisa) e não há sinais de parto (ainda bem). Na última consulta (a 2/07) estava tudo bem: o João já ia nas 2700gr com os outros parâmetros todos dentro da normalidade. Aqui a mãe tem-se portado bem e voltou a não engordar (mantendo os 6Kg de aumento), as tensões estavam óptimas (as melhores do último ano) mas o teste da glicose voltou a dar positivo. Resultado, tive que voltar a fazer a curva das 3horas e das 100gr de açúcar. Pela segunda vez a curva não revelou a presença de diabetes gestacional, apesar de ter alguns valores acima do limite.
O médico acha que o piolho vai aguentar cá dentro até completar o tempo e por isso só marcou a próxima consulta para o dia 29 de Julho. Em princípio, e para minha infelicidade, deverá nascer por cesariana já que os ossinhos aqui da mãesinha são demasiado estreitos para ele passar, ainda por cima estando o João a crescer no percentil 95. Mas só mesmo no dia 29 é que fica decidido. Até lá ainda tenho que pensar em fazer as malas (que já deviam estar feitas), comprar aquelas coisitas que estão sempre a ser adiadas e descansar. O boss sugeriu que eu fosse de férias a partir do dia 21 e por isso vou aproveitar para gozar os últimos dias e preparar-me para a próxima etapa (que imagino que vai ser bem mais difícil).

sexta-feira, 27 de junho de 2008

34 semanas...

...e estamos a entrar na recta final. Não me canso de dizer que o tempo está a passar a voar e tenho receio que não esteja a aproveitar ao máximo esta fase única. Apesar de todas as mudanças que ocorreram nestes últimos meses, novo emprego, nova casa, novos amigos... o João é de facto uma alteração radical na minha vida. Ainda não nasceu mas já mudou tudo à nossa volta.
A cerca de um mês do fim ainda não tomei muito bem a consciencia de que vou mesmo realizar um dos meus grandes sonhos - ser mamã. A barriga cresceu, ele não pára quieto, o cansaço já é grande, mas acho que nada disso me convence que vou ter mesmo um bebé. Enfim...
O enxoval está pronto, as aulas teóricas de PPP estão completas, falta continuar com os exercicios practicos de respiração e preparação física. A próxima consulta é dia 2 de Julho e já devo ficar com uma ideia mais precisa de como vai ser o parto. Só espero que esteja tudo dentro dos parâmetros da normalidade para aguentar bem as últimas semanas.

domingo, 15 de junho de 2008

As ecos... (Parte II)

... então mãe... o pai Pê não tem tido muito tempo. Mas para compensar, ele vai colocar agora mesmo, mesmo, mesmo, mesmo o video da ecografia das 30 semanas.

Beijinhos do João.

PS: Sou ou não sou bonito? :)
PS2: O meu nariz é parecido com o da mãe?

quarta-feira, 11 de junho de 2008

As ecos...

...que tanto demoram a passar para formato de video, lá acabaram por chegar ao blog, ainda antes do pimpolho nascer. Ora aqui fica um bocadinho da eco das 22 semanas, com o momento crucial em que ficamos a saber que era um menino que vinha a caminho.


domingo, 8 de junho de 2008

Mais umas aquisições...

...para o pimpolho. Este fim-de-semana ele teve direito a mais uns miminhos da mãe e do pai, do padrinho e da madrinha. Uma das coisas complicadas para comprar já está resolvida: o carrinho (e companhia limitada). Depois de algumas pesquisas de mercado, confrontando preço e qualidade, decidimos comprar o Trio 4 Me da Chicco. Tivemos que ter em atenção o tamanho do carrinho depois de fechado para garantir que cabia na mala do carro da mãe e se respeitava todas as regras de segurança. E a escolha foi esta (ainda demorou uma horita a montar as peças todas e a perceber como funcionavam):



O padrinho também contribuiu nos miminhos oferendo mais uns fatinhos:


Consulta e eco das 30 semanas...

A consulta das 30 semanas já foi feita com um novo médico e noutra clínica. Pode-se dizer que gostei muito do serviço e o atendimento também não me deixou queixas. Foi uma consulta mais que completa com direito a fazer todos os exames, calmamente, e a esclarecer muitas das dúvidas que estavam pendentes.
De uma primeira observação o médico considerou que estava tudo bem comigo e com o bebé, emagreci um kilo em vez de engordar e a tensão arterial já estava mais reduzida (acabou-se a medicação para as tensões). Acrescentou apenas fluor para os dentes e creme para os mamilos. Ainda levei uma lição sobre a alimentação de onde concluí que se tivesse sido acomanhada por este médico desde inicio em vez de ter engordado uns meros 6Kg, ainda tinha emagrecido.
A ecografia das 30 semanas foi feita no sitio habitual (já que não tenho razão de queixa) e correu mesmo muito bem. O meu piolho está crescido, com cerca de 1800Kg, e já está de cabeça para baixo. Passou a consulta toda aos saltos mas deixou a médica tirar-lhe umas fotografias muito giras (vou pedir ao pai Pê para colocar o video). A opinão geral é que ele é muito parecido com a mãe!!! :D. É claro que sabendo bem como são feitas as aproximações 3D não dá minimamente para tirar essas conclusões, mas até me fez bem ao ego. Acho que pela primeira vez tenho mesmo vontade de o ver, para saber se é loiro ou moreno, cabeludo ou careca e tão fofinho como parece ser na eco. Mas até lá ainda tenho muita coisa para fazer, por isso ele que se mantenha cá por dentro pelo menos até ao final de Julho.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

As aulas de PPP...

...já começaram. Decidi inscrever-me nas aulas de Preparação Para o Parto, na Gimnográvida (www.gimnogravida.pt), perto do local onde trabalho, pois acho que vão ajudar a clarificar muitas das dúvidas que tenho em relação ao parto e ao pós-parto e a ficar psicologicamente estável e serena para o último dia desta gravidez. As aulas são orientadas por enfermeiras/parteiras e incluem uma data de aulas teóricas sobre gestação, o nascimento, os sinais do trabalho de parto, tipos de anestesia, cuidados com bebé, desenvolvimento das crianças e as restantes aulas, até o nascimento do João, serão práticas, com exercícios de respiração e relaxamento. Inclui ainda, uma visita a casa depois do parto para dar alguma orientação, esclarecer dúvidas relativas aos cuidados com o bebé e ver o estado físico geral da mãe. Eu e o Pê já fomos às primeiras aulas e gostamos muito da informação que nos foi transmitida, tanto pelas enfermeiras como pelos outros papás, e da forma tão atenciosa como fomos recebidos. Se alguém tem dúvidas se vale ou não a pena frequentar estas aulas, não hesitem, são no mínimo enriquecedoras.

Gastar, gastar, gastar...

Apesar do boss não ter cedido ao aumento, ele concedeu-me um dia de férias na sexta-feira (a seguir ao friado) para poder fazer as ditas cujas compras (e mais uma data de coisas que tinha em atraso para fazer). Depois do cabelo cortado, fotografias (tipo passe) tiradas e inspecção ao carro feita, lá fui eu enfiar-me dentro do shopping a percorrer tudo quanto era loja de roupa de bebé e puericultura. Pode-se dizer que dá vontade de comprar tudo e mais alguma coisa, mas o orçamento não permite. Apesar de ter ido sozinha e andar a carregar sacas de um lado para o outro, ainda consegui deliciar-me com um gelado (o meu swirl) nas varandas do arrabida shopping, virada para o rio Douro (tinha que fazer alguma coisa com sabor a férias...).
Penso que da lista anterior já posso fazer uma lista mais pequena daquilo que ficou a faltar:

- Saco de dormir e mais uma mantinha
- Banheira
- Resguardos descartáveis
- Soutiens de amamentação e creme para mamilos
- Carrinho, cadeira e saco de transporte
- umas coisitas de farmácia (soro fisiológico, álcool, paracetamol,...)

Consegui reduzir bastante a lista e do que ficou por comprar preciso da opinião do pai Pê.

terça-feira, 20 de maio de 2008

Comprar, comprar, comprar...

O tempo está a passar e eu ainda não tinha parado para pensar naquilo que o João vai precisar quando nascer. Convém começar a tratar disso, não vá ter uma surpresa antes do tempo e depois ter que andar a comprar tudo a correr. Fazendo uma pequena pesquisa pela net encontrei muitas sugestões para listas de compras para o bebé.
Para dar uma ajudinha, a PAIS & Filhos elaborou uma lista do bebé. Esta não é uma lista de tudo o que se pode comprar, mas antes uma lista de tudo o que deve comprar, ou seja, uma lista de indispensáveis, básicos, aquelas compras que consideram essenciais. Ora cá vai:

Sono
1- Berço. Ou cama de grades? Pode comprar só o berço e deixar a cama de grades para mais tarde. Ou optar por comprar só a cama de grades e deitar aí o bebé desde o início.
2- Protectores para cama de grades (se for esse o caso). Convém ter dois, para poder substituir um enquanto lava o outro.
3- Resguardos para o colchão.
4- Lençóis 100% algodão. O seu bom senso dir-lhe-á quantos, mas aconselhamos três, no mínimo. Os de baixo devem ter elástico pois facilitam a tarefa de fazer a cama e mantêm-se sempre no sítio.
5- Saco de dormir. Nos primeiros meses o bebé não deve dormir com mantas e edredões. O saco de dormir, sem mangas, é o ideal.
6- Mantinha para embrulhar o bebé. Convém ter pelo menos duas, de lã ou de algodão consoante a estação do ano.

Higiene
1- Banheira. Escolha a que mais se adequa ao seu espaço. Se puder ter muda fraldas incluído e couber na casa de banho é a solução mais prática. Evita o transporte de água para o quarto.
2- Toalhas com capuz, duas ou três.
3- Gel de banho corpo e cabelo (não é preciso champô)
4- Tesoura para as unhas (é mais segura do que o corta-unhas)
5- Creme hidratante
6- Álcool 70º, para desinfectar a zona do umbigo, enquanto o cordão umbilical não cai.
7- Soro fisiológico, em mini-doses, para descongestionar o nariz e limpar os olhos.
8- Compressas. Nas primeiras semanas é preferível usar apenas compressas embebidas em água para limpar o bebé. As toalhitas podem ser irritantes para a sua pele sensível.
9- Fraldas descartáveis, no tamanho mais pequeno. Nas primeiras semanas um bebé gasta, em média, 10 por dia.
10- Resguardos descartáveis. À venda na zona das fraldas para adultos. Úteis para as saídas com o bebé, para deitá-lo em qualquer lado de forma higiénica.
5- Cesto para produtos de higiene (porque dá jeito ter tudo junto no mesmo sítio)

Amamentação
1- Soutiens de amamentação. Verifique se o fecho que abre a copa do soutien é fácil de abrir só com uma mão. Compre dois, um tamanho acima do que está a usar no final da gravidez. Mais tarde poderá comprar outros, com mais segurança no tamanho.
2- Discos absorventes. Descartáveis ou reutilizáveis, 100% de algodão, laváveis na máquina.
4- Creme para os mamilos (os mais aconselhados são os de lanolina).
5- Roupa que facilite a amamentação, fácil de abrir à frente.

Passeio
1- Carrinho. É uma opção pessoal, há muitos preços e opções. Abra-o e feche-o várias vezes antes de comprar, verifique se é fácil adaptar o «ovo» e tenha em atenção o tamanho que ocupa fechado.
2- Cadeirinha para o carro, tamanho 0 ou 0+.
3- Saco para transportar os objectos do bebé, roupa, fraldas, etc. Qualquer mochila pode servir para este efeito, mas os sacos próprios facilitam, com os seus vários compartimentos, muda-fraldas,
etc.


Roupa
1- 8 bodies de manga comprida. Substitua alguns por manga curta se nascer no Verão.
2- 6 a 8 babygrows

3- 8 meias e collants (estes dispensáveis no Verão)
4- 2 Gorros, de algodão ou de lã, consoante a estação
5- Vestidos, calças, casaquinhos, cueiros, q.b.

6- Detergente que evita alergias, para lavar a roupa do bebé à mão e na máquina
.

Saúde
1- Termómetro digital para medir a temperatura
2- Paracetamol em supositórios, infantil

Acessórios vários
1- 10 fraldas de pano
2- 10 babetes (os de apertar com velcro são mais práticos)
3- Pára-sol para a janela do carro
4- Pano ou canguru para transportar o bebé

Só terá de comprar mais tarde
- Chupetas
- Cadeira para a mesa
- Cadeira portátil para a mesa
- Sistemas de segurança (para escadas, tomadas eléctricas, etc)
- Brinquedos

Opcional
1- Dispensador de fraldas
5- Cama de viagem
6- Termómetro para a água do banho: pode avaliar com o cotovelo.
7- Creme para o rabinho: não é preciso pôr sempre e não é aconselhado nas primeiras semanas.
8- Discos calmantes para as mamas: podem usar-se com calor ou frio.
5- Bomba tira-leite: pode ser essencial na altura da subida do leite, mas pode comprá-la só nessa altura. Também é muito útil para poder retirar leite para congelar e alguém poder dar ao bebé na sua ausência.
6- Caixa esterilizadora de chupetas, para o micro-ondas (muito prática, serve também para transportar as chupetas)
7- Intercomunicador: muito útil se tem uma casa grande ou com espaços exteriores. Caso contrário, torna-se dispensável.
8- Almofada para dar de mamar: é confortável, mas pode usar outras almofadas.
9- Espreguiçadeira: é um objecto que pode substituir por uma manta no chão. O parque insuflável: uma manta no chão sofisticada, porque limita o campo de exploração do bebé e permite tirar o olho dele por um bocadinho. De qualquer forma, são compras para fazer mais tarde.

Se não pretende amamentar
1- Esterilizador de biberões
2- Escova para lavar biberões
3- 4 a 6 biberões ergonómicos
4- O leite deverá ser recomendado pelo pediatra

...hhaaa...pois...está certo...se eles dizem...
Parece que vou ter que pedir um aumento ao boss. Ora tirando umas roupitas, chupeta e biberões, o canguru e o berço para nanar não tenho mais nada. Não é preciso entrar em pânico, certo? Acho que eles já deviam vir equipados com estas coisas todas à nascença. Ainda dizem que o homem é um ser inteligente!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Mais uma consulta...

...mais uma certeza que tenho que mudar de médica obstetra. É desta que opto por iniciar uma nova procura por um médico que me acompanhe nestas últimas semanas. Já me tinha questionado muitas vezes se a minha médica estaria a desempenhar as suas funções da melhor maneira, e fiquei sempre com o pé atrás. Desde consultas "a correr" que demoravam 15 min (com ecografia incluida), à falta de informação que sei que está em falta porque felizmente ainda sei ler, chego à conclusão que só lá vou buscar receitas para ferro e ácido fólico e medir as tensões. Felizmente, tenho tido uma gravidez muito calma sem nunca ter que me preocupar com sintomas menos desejados. Em sete meses só recorri uma vez às urgências porque tinha a tensão alta, nada de preocupante. Não quero imaginar o que seria se tivesse uma gravidez com mais precauços e com uma médica que se limita a passar receitas...Enfim, está mais que decidido que tenho que mudar, só espero que não seja para pior. Desta última consulta posso apenas dizer que continua tudo bem (segundo observações muito incompletas da médica), com 7Kg a mais :s, a tensão arterial no limite superior e o João atravessado (com a médica a reforçar que se continuar assim vai ter que ser cesariana... e eu a auto convencer-me que ainda vai a tempo de virar na direcção certa). Só para acabar em beleza, a próxima consulta ficou marcada para as 34 semanas (um mês e meio depois desta), ou seja, em vez de reduzir ou pelo menos manter o período entre consultas, aumentou. É normal? (Ainda se fossem consultas comparticipadas pelo estado...) Depois dessa data já nem marcou mais consultas pois diz que vai de férias na altura do meu parto e por isso vai passar a pasta a outro ("Não se preocupe que fica entregue a um médico como se fosse eu"). Aaaahhhh, que terror! Conclusão, se fizermos uma pequena pesquisa na net pelos procedimentos habituais de uma consulta pre-natal encontra-se:

Os procedimentos de rotina são:

  • Avaliações da tensão arterial e do peso;
  • Testes à urina;
  • Palpação abdominal para medir a altura do útero e verificar a posição e o tamanho do bebé;
  • Auscultação dos batimentos cardíacos fetais;
  • Exame às pernas para eventual detecção de varizes ou edemas (inchaços);
  • Exame ginecológico no início e no final da gravidez.

Logo na primeira consulta receberá o Boletim de Saúde da Grávida.

...e a minha médica só costuma fazer os 2 primeiros items, nunca fez apalpação abdominal, nunca mediu a altura uterina, tendo feito um exame ginecológico numa consulta que fiz ainda antes de engravidar (onde ela concluiu que ia ser muito difícil engravidar e ao fim de 3 meses já estava grávida). Nem o BSG ela me deu na primeira consulta. Se não fossem as ecografias que tenho feito à parte não fazia ideia se o bebé estava bem ou não.

Acho que não estou a fazer má avaliação da médica, pois não?...


quinta-feira, 8 de maio de 2008

Um miminho do pessoal da ****** (censurado)

Num jantar de convívio entre colegas de trabalho do Pê, no meio de muito "mal-dizer", eles decidiram surpreender o Pê com um miminho dirigido ao João. Apesar de só os ter conhecido nesse dia (à excepção de uma ou duas melgas), quero deixar aqui um pequeno gesto de agradecimento pelo fatinho tão fofinho que deram para o João. Obrigada!

domingo, 4 de maio de 2008

Faltam 100 dias...

...desta jornada de aproximadamente 280 dias. Para mim é como alcançar o pódio, cada dia uma vitória! Não tenho pressa que os dias passem, acho até que estão a passar rápido de mais. Quero gozar ao máximo esta magia fantástica de fazer crescer um ser dentro de mim. Passo 24h por dia a fazer as coisas à mercê dele e não à minha, desde o levantar cedo ao deitar cedo, passando pelos mil cuidados que vou tendo durante o dia e a noite para não o magoar e o fazer crescer de forma saudável. Acho mesmo que deixei de pensar em mim e comecei a viver por ele. É engraçado que com o passar do tempo este efeito é cada vez mais intenso, quanto mais não seja porque ele agora faz questão de me lembrar frequentemente que anda cá dentro. Esta comunicação entre mãe e filho já se vai fazendo por linguagem gestual (ou ao pontapé) e acho mesmo que já o vou compreendendo. Quando tem fome, quando se sente apertado, quando não está na posição que gosta, lá vai reclamando. Isto concluo eu, porque depois de comer ou de mudar de posição ele lá se acalma. É um conjunto de coisas que vão acontecendo com o passar dos dias que vai fortalecendo esta ligação entre os dois.
Hoje é dia da Mãe e pela primeira vez estou eu no papel de mãe. É de facto um estatuto que aprecio e não quero perder. O facto de ser um filha carente talvez faça de mim uma mãe totalmente dedicada, até mesmo exagerada. Quero lhe dar aquilo que não tive, quero que ele sinta que vai ter sempre a mãe por perto, na hora de rir e na hora de chorar. Não vale a pena palavrear muito, resume-se tudo em ser Mãe.

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Há dias importantes...

...e este mês está cheio deles. Depois de muita confusão, de um lado para outro com a casa às costas (desde o dia 1 de Abril), estamos finalmente na casa nova. Aproveitamos este fim-de-semana prolongado para mudarmos de vez, só assim vamos conseguir pôr tudo no sitio (ou deixar dentro das caixas, tb é uma hipótese). Assim, é digno de ficar registado mais um dia importante: 25 de Abril de 2008 - A entrada na casa nova!
É claro que no próprio de dia de mudança não parámos em casa, eh eh. Aproveitamos ao máximo o facto de vivermos pertinho do mar e estar um dia de verão, para apanhar sol, caminhar, estar com os amigos...chegamos mesmo a jogar basket e ping-pong e acabamos a jantar fora e a comer um gelado no final da noite. Pode-se dizer que (com tanta coisa para arrumar em casa) estivemos a gozar o dia ao ar livre.

O nosso João também quis dar um ar da sua graça e premiou o pai Pê com um miminho (= pontapé) suficientemente forte para ele sentir. A partir de agora de certeza que vais conseguir senti-lo muitas vezes Pê, mas fica registado que a 28-04-2008 o teu filhote disse-te um olá pela primeira vez.

Para acabar em beleza o mês, hoje é outro dia importante. Tão importante que se não tivesse acontecido não havia João, não havia blog, não havia "Feito a dois". Sim, foi o dia em que começamos esta caminhada a dois, com tanta dedicação... que agora até já somos três. Passem os anos que passarem, vou sempre relembrar este dia com um sorriso e com muito carinho. É impossível esquecer um inicio a dois tão atribulado... tão atribulado que só se "consumou" na madrugada do dia 1 de Maio. Marcaram-me as palavras do Pê: "Beijei, agora vamos ter que casar!". E assim foi. Casar, casar não é bem o termo, mas construímos uma vida a dois, e que já deu frutos. Que continue assim (mas com mais fruta), por muito tempo!

sábado, 26 de abril de 2008

As primeiras compras para o João



Desde que soubemos que era um menino já só tinha vontade de começar a fazer o enxoval do João. Comecei pelo mais básico e essencial: roupinha para o primeiro mês de vida (0-1 mes), tendo em conta sempre que teriam que ser peças fáceis de vestir e não muito quentes porque vai nascer em pleno verão. Como no primeiro mês ele nem sai de casa, achei que não valia a pena comprar roupa à rapazinho, fiquei mesmo pelos babygrows. Deixo uma pequena amostra, para poderem dar uma espreitadela (não vale oferecer repetido!)

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Maldita glicose...

As análises que acompanharam a ecografia das 22 semanas foram bem diferentes das anteriores. Desta vez foi necessário fazer o teste de rastreio para a diabetes, que se resume em analisar o sangue em jejum, depois beber um cocktail de açúcar (50gr), aguardar uma hora e voltar a tirar sangue. Até parece simples, à excepção do cocktail que é terrível para beber e para aguentar no estômago, mas lá aguentei.
Resultado das análises: tudo na batata excepto o valor da glicose que em jejum era 78 e depois do teste foi para os 150. Ora, na passada sexta-feira quando a médica viu os resultados entrou em pânico, disse que eu tinha que fazer urgentemente a curva glicémica para ter a certeza se estavamos perante uma diabetes gestacional. A curva glicémica é semelhante ao teste anterior, com o pequeno acréscimo que o cocktail é de 100gr e que é necessário medir os níveis de glicose de hora a hora, durante 3 horas, ou seja, mais açúcar e mais 4 buracos. Assim que saí da consulta fui para o andar de baixo fazer a prova. Se a primeira custou esta então...não aguentei mesmo. Ao fim de 50 min já me estava a livrar do que tinha bebido. Conclusão, teria que repetir tudo de novo. Como não me limitei a vomitar e fiz questão de sujar a roupa toda, a enfermeira mandou-me embora e pediu para voltar na segunda-feira.
Como não me dou por derrotada facilmente, às 8h da manhã de segunda-feira, lá estava eu cheia de vontade para beber tudo outra vez. Pode-se dizer que à terceira é de vez e que já me estava a habituar ao sabor. Os primeiros 20 minutos foram os piores a concentrar-me para não voltar a vomitar, mas depois só mesmo o tempo de espera incomodou. Aproveitei para dar um bom avanço no livro que andava a ler, e de hora a hora lá ia fazer mais um buraquinho no braço. Missão cumprida!!
Contrariamente ao longo tempo de espera a fazer o teste, o resultado saiu logo no dia a seguir. A assistente da minha médica fez questão de me ligar para dar a notícia: "está tudo normal, não precisa de se preocupar com a diabetes!"
Valeu a pena o esforço, não me estava a ver a fazer dieta durante três meses, só de pensar apetece-me logo comer tudo o que faz mal. Aqui que a minha médica não me ouça, mas acho que ela partiu logo do princípio que eu teria diabetes só por ter uns kilos a mais. Mas enganou-se, posso ter uns kilos a mais, mas tenho uma alimentação equilibrada, caso contrario não teria engordado só 5Kg em 6 meses.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Resultado...

...esta coisa do nome não é fácil! Estatisticamente, não temos uma amostra suficientemente grande para tirar conclusões. As sugestões dadas no blog ou ao ouvido estão muito bem distribuidas, sem que haja um nome que se destaque.
Apesar de eu gostar de qualquer um dos nomes, o pai Pê sempre se debateu com o mesmo nome. Assim, fazendo a vontade ao Pê e porque existe uma boa razão para além de gostar ou não do nome, vai-se chamar João. Só espero que ele faça jus ao nome e seja um grande homem como o avô.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

O nome...

Pois é, com a notícia de que vem aí um rapazola deparámo-nos com um pequeno problema: que nome vamos dar? Se fosse a tão esperada menina já não havia problema, seria Íris, mas para menino nem chegamos a pensar muito.

Não faltam sugestões, mas parece que não há consenso. Vou deixar aqui alguns dos nomes que têm sido sugeridos:


João ou João Rui
Henrique
Francisco
Gonçalo
Martim
Tomás

Os primeiros dois nomes estão associados a pessoas que nos dizem muito, mas não estão bem de acordo com o meu gosto pessoal. Gosto de nomes sonantes e pouco comuns. Já o pai Pê prefere a primeira opção pela mesma razão que já referi e tem tendência para os nomes pequenos e simples, como o dele. Enfim, aceitam-se sugestões, pode ser que tenhamos que recorrer a votos.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Ecografia morfológica - 21 semanas

Passados dois meses lá voltei àquele magnifico sitio onde posso ver o que se passa dentro desta barriga: mais uma ecografia.

No meio de um dia muito agitado, com mudanças de uma casa para a outra, a ecografia estava marcada para as 18h, e acabei por chegar atrasada. A ansiedade era muita, e com as coisas a correr mal comecei a ficar com um mal humor danado. Desde chegar atrasada a não ter levado o dvd para gravar a eco, tudo me chateava. E quem levou na cabeça? O Pê, claro! Mas tudo se resolveu: o atraso não era bem atraso pois ainda tive de esperar e o dvd lá se arranjou na própria clínica.

Apesar de tudo não estava tão ansiosa para esta ecografia como estava na das 12 semanas. Queria apenas que estivesse tudo bem e estava curiosa para saber se era menino ou menina. A médica que fez a eco começou por ver tudo calada: a cabeça, o coração, os rins, os membros,...até que disse: "Temos aqui um assobio". Eu e o Pê olhamos um para o outro à procura do significado daquela frase, mas a médica lá completou: "Já sabiam que era um menino?". Bem...eu não sabia o que sentir. Por um lado era indiferente que fosse menino ou menina, mas por outro já andava convencida que era uma menina. O Pê disse que a minha cara foi de desilusão, mas acho que não foi bem isso que senti. Acima de tudo esperava que a médica me confirmasse que estava tudo bem com o rebento. Mais alguns minutos e lá começou e desbobinar: "Na cara tudo bem, os olhos, o nariz, a boca... lábios bonitos"..."O coração está bem"..."A bexiga, os rins, os pulmões, tudo normal"..."As perninhas e os pés também estão bem e as mãos, são perfeitas, com 5 cinco dedos. Como deve saber, ter 5 dedos perfeitos é muito bom sinal" (devia saber??? pensei que era normal!!!)... Enfim, as frases dela deixavam sempre aquela ideia de que vinha um "mas", e tanto eu como o Pê esperávamos pelo "mas". Mas não havia mas, estava mesmo tudo bem. Temos um rapaz a crescer a bom ritmo (acima do percentil 50) e o único problema é mesmo o nome, que ainda não foi escolhido.
Da ecografia de cerca de 40 min, deixo apenas algumas imagens do nosso rapaz. (quando o Pê ripar)

quinta-feira, 27 de março de 2008

Muito sono...

...pouco sono. Tem sido assim nos últimos dias. Tenho muito sono durante o dia, e de noite não tenho sono nenhum. Já conto três noites muito mal dormidas. Quando me deito adormeço logo, mas passado umas 2/3 horas acordo e não consigo dormir mais. O tico e o teco decidem estar à conversa a noite toda, sempre a falar sobre as mesmas coisas: bebé e casa nova. Acho que é muita ansiedade junta que me faz andar assim. Já não vejo o meu baby há quase dois meses, não sei se ele está bem, se não está, se cresceu bem ou nem por isso, se é um menino ou uma menina, enfim... ainda faltam 6 dias para saber (que eternidade!!).
Como se não chegasse, a mudança para a casa nova vai ter que ser feita tipo "operação relâmpago". Ainda não tenho a casa pronta e já tenho que deixar a outra. Ainda tive esperança que o senhorio não conseguisse alugar com facilidade, mas enganei-me. A primeira pessoa que foi ver a casa ficou logo com ela. Ainda vieram outros dois que também queriam alugar, mas acho que já não vão a tempo (Eu sei que a casa é acolhedora, mas a decoração não está incluída, muito menos a gata!!). O primeiro veio decidido e já se quer mudar no início do mês. Ou seja, temos três dias para mudar a tralha toda para a casa nova e temos que ir chatear os avós para ficar lá a dormir enquanto não estiver tudo pronto. Eu até nem sou de stressar muito, mas estas hormonas de grávida andam-me a descontrolar. Para acrescentar às noites sem dormir, ando com uma azia descomunal e não consigo comer nada. Só espero que com isto tudo à mistura não esteja a fazer mal ao rebento.

terça-feira, 25 de março de 2008

Finalmente...

... senti este(a) pequeno(a) a mexer. Já andava ansiosa porque ainda não tinha sentido nada. Lia por todo o lado que os primeiros pontapés se sentiam entre as 16 e as 20 semanas. Pois só esta noite, e já com mais de 20 semanas, é que o pimpolho deu sinais de vida. Por volta das 3h da manhã fui acordada com um "turbilhão de pipocas a estourar" um pouco acima do umbigo. No inicio ainda pensei que fosse do estômago, mas a sensação era diferente e repetiu-se várias vezes. Parecia que andava alguma coisa a mexer de um lado para o outro. E deve ter mesmo mudado de lugar/posição, porque quando acordei de manhã comecei por sentir um alto mais duro no cimo da barriga, vomitei pouco tempo depois e passei o dia todo enjoada. O pouco que comia enfartava logo, daí ter concluído que o pimpolho deve ter vindo um pouco mais para cima, pelo menos está-me a esmagar o estômago (para quê bandas gástricas??).
Foi uma sensação muito boa, apesar de ter passado o resto do dia sem sentir qualquer movimento. Provavelmente ele até se mexe mais vezes, mas é uma sensação tão levezinha que só mesmo estando deitada e quieta é que me apercebo dos movimentos.
O Pê ficou triste porque também queria sentir. Já tem passado os últimos dias agarrado à minha barriga para sentir alguma coisa, mas acho que ainda vai ter que esperar mais umas semanas até que os pontapés se sintam por fora. A minha amiga Cá apresentou-me uma teoria para só ter sentido agora: "ainda não sentiste pontapés porque vais ter uma pipoquinha". Será? Gostava muito, mas acima de tudo já fico muito feliz com esta manifestação de existência.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Tentativas...

É verdade que o pai Pê ainda não tinha aparecido muito por estas bandas, mas algum dia teria de acontecer. ;) Esta minha primeira mensagem debate-se sobre a ansiedade da mãe M. e do pai Pê em ter novidades do seu rebento. A ultima ecografia foi às 12 semanas e a ecografia das 20 semanas está marcada para dia 1 de Abril. Enquanto isso, os pais tentam desesperadamente receber sinais do Junior... Copos, rolos de papel, ouvidos encostados... tudo serve para encostar à barriga da mãe e tentar receber notícias do Junior! Até agora... nada... :(

A dúvida continua...

...menino ou menina?

Neste fim-de-semana de festas pascoais o rebento recebeu mais uma prendinha da tia M. Como continua no desconhecido se é menino ou menina, a tia M. não hesitou e fez dois pares de carapins, uns azuis e uns cor-de-rosa. Pelo tamanho, se for menino tem que sair à mãe com o pé pekinino, já se for menina tem que ter uma patorra como o pai... Não, não, foi tudo pensado: primeiro anda com os azuis até romper e depois lá terá pesinho para os cor-de-rosa :) .

"Tia (avó) M. obrigada por pensares em tudo. Com o frio que está já os calçava! Com sorte sou menina e posso andar com os dois, senão guardo para minha mana que há-de vir."

Por falar em Páscoa, este fim-de-semana é especialmente dedicado aos padrinhos e afilhados. Apesar de ser uma ligação familiar pela via religiosa, a escolha dos padrinhos para o rebento foi completamente alheia a essas convicções. Escolhemos duas pessoas que certamente vão acarinhar, ensinar, acompanhar (e outras verbos acabadas em ar) o(a) nosso(a) pequeno(a). R. e C. espero que façam jus ao vosso papel e que o façam com o mesmo sorriso com que aceitaram o convite.