Day-by-day

baby

quinta-feira, 27 de março de 2008

Muito sono...

...pouco sono. Tem sido assim nos últimos dias. Tenho muito sono durante o dia, e de noite não tenho sono nenhum. Já conto três noites muito mal dormidas. Quando me deito adormeço logo, mas passado umas 2/3 horas acordo e não consigo dormir mais. O tico e o teco decidem estar à conversa a noite toda, sempre a falar sobre as mesmas coisas: bebé e casa nova. Acho que é muita ansiedade junta que me faz andar assim. Já não vejo o meu baby há quase dois meses, não sei se ele está bem, se não está, se cresceu bem ou nem por isso, se é um menino ou uma menina, enfim... ainda faltam 6 dias para saber (que eternidade!!).
Como se não chegasse, a mudança para a casa nova vai ter que ser feita tipo "operação relâmpago". Ainda não tenho a casa pronta e já tenho que deixar a outra. Ainda tive esperança que o senhorio não conseguisse alugar com facilidade, mas enganei-me. A primeira pessoa que foi ver a casa ficou logo com ela. Ainda vieram outros dois que também queriam alugar, mas acho que já não vão a tempo (Eu sei que a casa é acolhedora, mas a decoração não está incluída, muito menos a gata!!). O primeiro veio decidido e já se quer mudar no início do mês. Ou seja, temos três dias para mudar a tralha toda para a casa nova e temos que ir chatear os avós para ficar lá a dormir enquanto não estiver tudo pronto. Eu até nem sou de stressar muito, mas estas hormonas de grávida andam-me a descontrolar. Para acrescentar às noites sem dormir, ando com uma azia descomunal e não consigo comer nada. Só espero que com isto tudo à mistura não esteja a fazer mal ao rebento.

terça-feira, 25 de março de 2008

Finalmente...

... senti este(a) pequeno(a) a mexer. Já andava ansiosa porque ainda não tinha sentido nada. Lia por todo o lado que os primeiros pontapés se sentiam entre as 16 e as 20 semanas. Pois só esta noite, e já com mais de 20 semanas, é que o pimpolho deu sinais de vida. Por volta das 3h da manhã fui acordada com um "turbilhão de pipocas a estourar" um pouco acima do umbigo. No inicio ainda pensei que fosse do estômago, mas a sensação era diferente e repetiu-se várias vezes. Parecia que andava alguma coisa a mexer de um lado para o outro. E deve ter mesmo mudado de lugar/posição, porque quando acordei de manhã comecei por sentir um alto mais duro no cimo da barriga, vomitei pouco tempo depois e passei o dia todo enjoada. O pouco que comia enfartava logo, daí ter concluído que o pimpolho deve ter vindo um pouco mais para cima, pelo menos está-me a esmagar o estômago (para quê bandas gástricas??).
Foi uma sensação muito boa, apesar de ter passado o resto do dia sem sentir qualquer movimento. Provavelmente ele até se mexe mais vezes, mas é uma sensação tão levezinha que só mesmo estando deitada e quieta é que me apercebo dos movimentos.
O Pê ficou triste porque também queria sentir. Já tem passado os últimos dias agarrado à minha barriga para sentir alguma coisa, mas acho que ainda vai ter que esperar mais umas semanas até que os pontapés se sintam por fora. A minha amiga Cá apresentou-me uma teoria para só ter sentido agora: "ainda não sentiste pontapés porque vais ter uma pipoquinha". Será? Gostava muito, mas acima de tudo já fico muito feliz com esta manifestação de existência.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Tentativas...

É verdade que o pai Pê ainda não tinha aparecido muito por estas bandas, mas algum dia teria de acontecer. ;) Esta minha primeira mensagem debate-se sobre a ansiedade da mãe M. e do pai Pê em ter novidades do seu rebento. A ultima ecografia foi às 12 semanas e a ecografia das 20 semanas está marcada para dia 1 de Abril. Enquanto isso, os pais tentam desesperadamente receber sinais do Junior... Copos, rolos de papel, ouvidos encostados... tudo serve para encostar à barriga da mãe e tentar receber notícias do Junior! Até agora... nada... :(

A dúvida continua...

...menino ou menina?

Neste fim-de-semana de festas pascoais o rebento recebeu mais uma prendinha da tia M. Como continua no desconhecido se é menino ou menina, a tia M. não hesitou e fez dois pares de carapins, uns azuis e uns cor-de-rosa. Pelo tamanho, se for menino tem que sair à mãe com o pé pekinino, já se for menina tem que ter uma patorra como o pai... Não, não, foi tudo pensado: primeiro anda com os azuis até romper e depois lá terá pesinho para os cor-de-rosa :) .

"Tia (avó) M. obrigada por pensares em tudo. Com o frio que está já os calçava! Com sorte sou menina e posso andar com os dois, senão guardo para minha mana que há-de vir."

Por falar em Páscoa, este fim-de-semana é especialmente dedicado aos padrinhos e afilhados. Apesar de ser uma ligação familiar pela via religiosa, a escolha dos padrinhos para o rebento foi completamente alheia a essas convicções. Escolhemos duas pessoas que certamente vão acarinhar, ensinar, acompanhar (e outras verbos acabadas em ar) o(a) nosso(a) pequeno(a). R. e C. espero que façam jus ao vosso papel e que o façam com o mesmo sorriso com que aceitaram o convite.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Dia do Pai...

Pai Pê,

ainda sou pequenino(a) e não sei escrever, mas decidi usar os meus poderes para hipnotizar a mãe (foi só fazer umas coceguinhas no coração dela) para te mostrar que não me esqueci de ti. Ainda não tive oportunidade para te ver, mas tenho a certeza que és o pai mais bonito do mundo. Já te imaginei comigo ao colo, em frente ao pc, a jogar PS ou a ver os Simpsons, a deixares-me mexer na tua mala de ferramentas, nas placas, nos leds e todas aquelas coisas, que a mãe nem sabe os nomes, e que por vezes espalhas em cima da mesa. Já sei que quando for para nanar vais estar sempre por perto para me fazeres companhia. Se adormeceres primeiro eu prometo não te acordar. Queria só que soubesses que ouço muito bem quando falas na barriga da mãe (por vezes tenho mesmo que tapar os ouvidos quando cantas), que gosto muito quando me fazes miminhos (costumas acertar mesmo naqueles sítios onde tinha comichão e não chegava para coçar) e que adormeço em segurança sempre que te agarras a nós de noite. Sei que estás sempre por perto (já estou farto de andar com a mãe para trás e para a frente) mas espero que estejas ainda mais quando eu chegar.
Gosto muito ti! (e acho que a mãe também gosta...já estou a ouvir o coração dela a bater muito rápido...acho que não vou conseguir mante-la hipnotizada por muito mais tempo...beeeeeiiijoooo paaaaiiiiiii).

PS. Oh avô J., não me esqueci de ti, afinal és meu pai a dobrar. Feliz Dia do Pai!

terça-feira, 18 de março de 2008

A barriga...

Parece que a barriga já não passa despercebida. Apesar da balança continuar abaixo dos níveis normais de aumento de peso na gravidez (o que no meu caso é bom porque o peso inicial já era de uma gravida no final de tempo...), a barriga já começou a dar sinais de "vida". A maioria das calças já não servem e as camisas já nem experimento vestir.
O que tem mais piada são mesmo os comentários que vou ouvindo: "Já se nota bem a tua barriga!", "Está a ficar redondinha","Está mesmo gira!". Quer dizer, a barriga que tinha antes era objecto de crítica negativa ("estás gorda, já pensaste em fazer dieta?") agora que ela cresceu ainda mais... é GIRA!!!. Afinal em vez de emagrecer precisava era de engravidar...
Apesar de saber que estou ainda mais redonda, agora fico muito sentida quando mo dizem. O meu mano R. que sempre me chamou carinhosamente gorda, no outro dia levou com um beicinho muito triste quando me disse "Olá gorda". É preciso ver que isto de estar grávida mexe com as hormonas.

A parte que tem menos piada deste crescimento frontal são mesmo as dores abdominais que vou tendo, que segundo fontes médicas devem-se ao facto do útero estar a crescer, os ligamentos a esticar e os outros órgãos a mudar de sitio. Onde andará o estômago?
A descrição da dor não é simples*, mas pode-se assemelhar a cãimbras** musculares (daquelas que dão na barriga da perna quando estamos a dormir) seguidas de uma sensação de músculo dorido (de quem fez uma data de abdominais), isto tudo no fundo da barriga, claro. O primeiro dia com estas dores deu direito a uma visita às urgências do Hospital de Gaia, já que a minha "amiga" obstetra não estava contactável. Para meu espanto, encontrei no sistema público aquilo que não consegui no privado: rapidez e atenção. Comentários à parte, estava tudo bem com o rebento, mas a mãe precisou de descansar o resto da tarde pois tinha a tensão arterial lá para cima. Entretanto já me habituei aos esticões, que se manifestam essencialmente quando estou na horizontal ou quando me levanto (da cama ou da cadeira).
Quanto à barriga, não há problemas nenhuns que cresça, desde que não altere o meu equilíbrio gravitacional (para não cair para a frente), está tudo na batata.


* é simples se for visto num plano neuro-sensitivo. As fibras A-delta seguidas das fibras C, explicam bem o progresso da dor (Bem, este comentário deve-se, certamente, aos efeitos corrosivos, ao nível do cérebro, provocados pelas boas horas de trabalho). ***
** esta palavra devia vir no novo acordo ortográfico, tive que a escrever uma data de vezes até acertar.

*** não é normal estar a comentar aquilo que escrevo e até mesmo os próprios comentários. Será o rebento a pensar?

segunda-feira, 10 de março de 2008

A meio do caminho...

Apesar de parecer que foi ontem que foi feito (e em contradição, parece que o tempo não passa), esta gravidez já vai a meio do caminho. O rebento já tem 18 semanas e por incrível que pareça conseguiu aturar a mãe 24 horas por dia, minuto a minuto, segundo a segundo (É obra!).
É verdade que eu tenho feito tudo para tratá-lo bem. Anda bem aconchegado, não apanha frio nem calor, nem chuva nem sol. Tem direito a comer um pouco de tudo, desde frutas e legumes (como mandam as dietas) a coisas mais docinhas e menos saudáveis, como gelado e pizza. Cansado, também não deve estar (pelo menos fisicamente), já que a mãe não tem feito exercício nenhum. As caminhadas estão sempre a ser adiadas, por uma razão ou por outra e a natação está guardada para quando mudar de casa. No trabalho estou sentada o dia todo e quando chego a casa pouco mais faço do que fazer a papinha e tratar da roupa, pois quanto às limpezas o pai Pê tem feito um esforço (mesmo que contrariado) para deixar tudo em ordem. Com tudo isto, acho que o rebento só tem mesmo que aguentar com o mau feitio da mãe (o que já não é fácil). Se aguentar mais 18 semanas, prometo que irá ter muitas recompensas (muito miminho e atenção).

terça-feira, 4 de março de 2008

Menino ou menina?

Assim que se sabe que vem aí um bébé a primeira questão que surge é sempre em relação ao sexo. Será menino ou menina? Há teorias válidas para ambas as modalidades. Uns acham que os rapazes são mais fáceis de educar e que para primeiro filho é melhor que seja rapaz, para funcionar como irmão mais velho. Outros acham que as meninas são mais bonitas e inteligentes. Enfim, eu não tenho fundamento para nenhuma teoria. Gostava de ter uma menina pois já ajudei a criar um bébé menino e agora gostava de ter a experiência oposta, apenas por isso.
Muito mais à frente das teorias estão as tecnicas de previsão. Confesso que só me fazem rir. Desde a posição em que tem que ser feito à idade da mãe ou do pai, não faltam tecnicas. Só para constatar deixo um exemplo:

A tabela chinesa que prediz o sexo do bebe:

"Há mais de cem anos que esta tabela está a circular na China, segundo a tabela, o essencial é saber a idade da mãe e o mês para saber o sexo da criança, que virá ao mundo.

Segundo a lenda, esta tabela foi enterrada na tumba de uma família real c
hinesa, há mais de 700 anos, e que de acordo com o Instituto de Ciência de Pequim, se é bem usada, tem uma probabilidade de acerto de 99% dos casos.

Se nasceu em qualquer mês, menos janeiro e fevereiro, a sua idade lunar é sua idade atual mais 1."


H=homem, M=mulher



Aqui estão dois bons exemplos de como a previsão é rigorosa, utilizando a tabela chinesa. Vamos ver no meu caso:

mês de concepção: Novembro
idade lunar da mãe: 27 anos (faço anos em fevereiro, mas mesmo que fossem 28 o resultado é mesmo)

Na primeira tabela é menina na segunda tabela é menino, eheheh!
Vou ter mesmo que esperar pela tecnologia médica para saber!!!

segunda-feira, 3 de março de 2008

As primeiras prendinhas...

Ainda não estamos a meio do "campeonato" e o rebento já teve direito às suas primeiras prendinhas. Os amigos C&R, aproveitaram uma boa e divertida noite de convivio em sua casa, com direito a jantar, Singstar e Buzz (já depois de estarem todos roucos e dos vizinhos terem chamado a policia!!), para presentearem o rebento com duas prendinhas, muito giras. Como ainda não sabemos se é para menina ou menino, as cores primaram por ser amarelo e cinza.
Nos tempos que correm já começa a ser dificil encontrar alguém que tenha jeito para fazer uns bordados à mão, mas a C. conseguiu convencer a sogra a bordar a primeira babete do rebento com uma chucha. Eu não percebo nada da arte, mas acho que ficou muito bem feito.
Como o nascimento está previsto para o Verão, a primeira T-shirt vem mesmo a calhar. Gostei muito, tenho pena que não me sirva :).
Eu e o Pê queremos agradecer aos amigos C&R, pelas prendinhas e por quererem participar nesta nossa nova etapa!

O enxoval já começou...

Ainda não se sabe se é menino ou menina, se vai nascer grande ou pequeno, magro ou gordo, mas o que é certo é que os avós H&J já abriram as suas "arcas do tempo" à procura das dezenas de peças de roupa que estavam guardadas há mais de 25 anos. É verdade, estivemos uma tarde inteira a ver "tirar coelhos da cartola", surgiam peças e mais peças, desde lençois e mantas, para berço ou alcofa, a camisolinhas, casacos, babygrows, babetes...um infindável enxoval de bébé que reverteu incondicionalmente para o primeiro neto. Uma herança digna de se ver.
O avô J. passou uma semana inteira a lavar e a passar cuidadosamente todas as peças, fazendo a inspecção para excluir aquelas que não estavam em tão bom estado. Ficou tudo lavadinho e cheiroso, pronto para vestir ou usar.
Em nome do(a) neto(a) vai um abraço bem apertadinho para os avós H&J.