Day-by-day

baby

quinta-feira, 29 de maio de 2008

As aulas de PPP...

...já começaram. Decidi inscrever-me nas aulas de Preparação Para o Parto, na Gimnográvida (www.gimnogravida.pt), perto do local onde trabalho, pois acho que vão ajudar a clarificar muitas das dúvidas que tenho em relação ao parto e ao pós-parto e a ficar psicologicamente estável e serena para o último dia desta gravidez. As aulas são orientadas por enfermeiras/parteiras e incluem uma data de aulas teóricas sobre gestação, o nascimento, os sinais do trabalho de parto, tipos de anestesia, cuidados com bebé, desenvolvimento das crianças e as restantes aulas, até o nascimento do João, serão práticas, com exercícios de respiração e relaxamento. Inclui ainda, uma visita a casa depois do parto para dar alguma orientação, esclarecer dúvidas relativas aos cuidados com o bebé e ver o estado físico geral da mãe. Eu e o Pê já fomos às primeiras aulas e gostamos muito da informação que nos foi transmitida, tanto pelas enfermeiras como pelos outros papás, e da forma tão atenciosa como fomos recebidos. Se alguém tem dúvidas se vale ou não a pena frequentar estas aulas, não hesitem, são no mínimo enriquecedoras.

Gastar, gastar, gastar...

Apesar do boss não ter cedido ao aumento, ele concedeu-me um dia de férias na sexta-feira (a seguir ao friado) para poder fazer as ditas cujas compras (e mais uma data de coisas que tinha em atraso para fazer). Depois do cabelo cortado, fotografias (tipo passe) tiradas e inspecção ao carro feita, lá fui eu enfiar-me dentro do shopping a percorrer tudo quanto era loja de roupa de bebé e puericultura. Pode-se dizer que dá vontade de comprar tudo e mais alguma coisa, mas o orçamento não permite. Apesar de ter ido sozinha e andar a carregar sacas de um lado para o outro, ainda consegui deliciar-me com um gelado (o meu swirl) nas varandas do arrabida shopping, virada para o rio Douro (tinha que fazer alguma coisa com sabor a férias...).
Penso que da lista anterior já posso fazer uma lista mais pequena daquilo que ficou a faltar:

- Saco de dormir e mais uma mantinha
- Banheira
- Resguardos descartáveis
- Soutiens de amamentação e creme para mamilos
- Carrinho, cadeira e saco de transporte
- umas coisitas de farmácia (soro fisiológico, álcool, paracetamol,...)

Consegui reduzir bastante a lista e do que ficou por comprar preciso da opinião do pai Pê.

terça-feira, 20 de maio de 2008

Comprar, comprar, comprar...

O tempo está a passar e eu ainda não tinha parado para pensar naquilo que o João vai precisar quando nascer. Convém começar a tratar disso, não vá ter uma surpresa antes do tempo e depois ter que andar a comprar tudo a correr. Fazendo uma pequena pesquisa pela net encontrei muitas sugestões para listas de compras para o bebé.
Para dar uma ajudinha, a PAIS & Filhos elaborou uma lista do bebé. Esta não é uma lista de tudo o que se pode comprar, mas antes uma lista de tudo o que deve comprar, ou seja, uma lista de indispensáveis, básicos, aquelas compras que consideram essenciais. Ora cá vai:

Sono
1- Berço. Ou cama de grades? Pode comprar só o berço e deixar a cama de grades para mais tarde. Ou optar por comprar só a cama de grades e deitar aí o bebé desde o início.
2- Protectores para cama de grades (se for esse o caso). Convém ter dois, para poder substituir um enquanto lava o outro.
3- Resguardos para o colchão.
4- Lençóis 100% algodão. O seu bom senso dir-lhe-á quantos, mas aconselhamos três, no mínimo. Os de baixo devem ter elástico pois facilitam a tarefa de fazer a cama e mantêm-se sempre no sítio.
5- Saco de dormir. Nos primeiros meses o bebé não deve dormir com mantas e edredões. O saco de dormir, sem mangas, é o ideal.
6- Mantinha para embrulhar o bebé. Convém ter pelo menos duas, de lã ou de algodão consoante a estação do ano.

Higiene
1- Banheira. Escolha a que mais se adequa ao seu espaço. Se puder ter muda fraldas incluído e couber na casa de banho é a solução mais prática. Evita o transporte de água para o quarto.
2- Toalhas com capuz, duas ou três.
3- Gel de banho corpo e cabelo (não é preciso champô)
4- Tesoura para as unhas (é mais segura do que o corta-unhas)
5- Creme hidratante
6- Álcool 70º, para desinfectar a zona do umbigo, enquanto o cordão umbilical não cai.
7- Soro fisiológico, em mini-doses, para descongestionar o nariz e limpar os olhos.
8- Compressas. Nas primeiras semanas é preferível usar apenas compressas embebidas em água para limpar o bebé. As toalhitas podem ser irritantes para a sua pele sensível.
9- Fraldas descartáveis, no tamanho mais pequeno. Nas primeiras semanas um bebé gasta, em média, 10 por dia.
10- Resguardos descartáveis. À venda na zona das fraldas para adultos. Úteis para as saídas com o bebé, para deitá-lo em qualquer lado de forma higiénica.
5- Cesto para produtos de higiene (porque dá jeito ter tudo junto no mesmo sítio)

Amamentação
1- Soutiens de amamentação. Verifique se o fecho que abre a copa do soutien é fácil de abrir só com uma mão. Compre dois, um tamanho acima do que está a usar no final da gravidez. Mais tarde poderá comprar outros, com mais segurança no tamanho.
2- Discos absorventes. Descartáveis ou reutilizáveis, 100% de algodão, laváveis na máquina.
4- Creme para os mamilos (os mais aconselhados são os de lanolina).
5- Roupa que facilite a amamentação, fácil de abrir à frente.

Passeio
1- Carrinho. É uma opção pessoal, há muitos preços e opções. Abra-o e feche-o várias vezes antes de comprar, verifique se é fácil adaptar o «ovo» e tenha em atenção o tamanho que ocupa fechado.
2- Cadeirinha para o carro, tamanho 0 ou 0+.
3- Saco para transportar os objectos do bebé, roupa, fraldas, etc. Qualquer mochila pode servir para este efeito, mas os sacos próprios facilitam, com os seus vários compartimentos, muda-fraldas,
etc.


Roupa
1- 8 bodies de manga comprida. Substitua alguns por manga curta se nascer no Verão.
2- 6 a 8 babygrows

3- 8 meias e collants (estes dispensáveis no Verão)
4- 2 Gorros, de algodão ou de lã, consoante a estação
5- Vestidos, calças, casaquinhos, cueiros, q.b.

6- Detergente que evita alergias, para lavar a roupa do bebé à mão e na máquina
.

Saúde
1- Termómetro digital para medir a temperatura
2- Paracetamol em supositórios, infantil

Acessórios vários
1- 10 fraldas de pano
2- 10 babetes (os de apertar com velcro são mais práticos)
3- Pára-sol para a janela do carro
4- Pano ou canguru para transportar o bebé

Só terá de comprar mais tarde
- Chupetas
- Cadeira para a mesa
- Cadeira portátil para a mesa
- Sistemas de segurança (para escadas, tomadas eléctricas, etc)
- Brinquedos

Opcional
1- Dispensador de fraldas
5- Cama de viagem
6- Termómetro para a água do banho: pode avaliar com o cotovelo.
7- Creme para o rabinho: não é preciso pôr sempre e não é aconselhado nas primeiras semanas.
8- Discos calmantes para as mamas: podem usar-se com calor ou frio.
5- Bomba tira-leite: pode ser essencial na altura da subida do leite, mas pode comprá-la só nessa altura. Também é muito útil para poder retirar leite para congelar e alguém poder dar ao bebé na sua ausência.
6- Caixa esterilizadora de chupetas, para o micro-ondas (muito prática, serve também para transportar as chupetas)
7- Intercomunicador: muito útil se tem uma casa grande ou com espaços exteriores. Caso contrário, torna-se dispensável.
8- Almofada para dar de mamar: é confortável, mas pode usar outras almofadas.
9- Espreguiçadeira: é um objecto que pode substituir por uma manta no chão. O parque insuflável: uma manta no chão sofisticada, porque limita o campo de exploração do bebé e permite tirar o olho dele por um bocadinho. De qualquer forma, são compras para fazer mais tarde.

Se não pretende amamentar
1- Esterilizador de biberões
2- Escova para lavar biberões
3- 4 a 6 biberões ergonómicos
4- O leite deverá ser recomendado pelo pediatra

...hhaaa...pois...está certo...se eles dizem...
Parece que vou ter que pedir um aumento ao boss. Ora tirando umas roupitas, chupeta e biberões, o canguru e o berço para nanar não tenho mais nada. Não é preciso entrar em pânico, certo? Acho que eles já deviam vir equipados com estas coisas todas à nascença. Ainda dizem que o homem é um ser inteligente!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Mais uma consulta...

...mais uma certeza que tenho que mudar de médica obstetra. É desta que opto por iniciar uma nova procura por um médico que me acompanhe nestas últimas semanas. Já me tinha questionado muitas vezes se a minha médica estaria a desempenhar as suas funções da melhor maneira, e fiquei sempre com o pé atrás. Desde consultas "a correr" que demoravam 15 min (com ecografia incluida), à falta de informação que sei que está em falta porque felizmente ainda sei ler, chego à conclusão que só lá vou buscar receitas para ferro e ácido fólico e medir as tensões. Felizmente, tenho tido uma gravidez muito calma sem nunca ter que me preocupar com sintomas menos desejados. Em sete meses só recorri uma vez às urgências porque tinha a tensão alta, nada de preocupante. Não quero imaginar o que seria se tivesse uma gravidez com mais precauços e com uma médica que se limita a passar receitas...Enfim, está mais que decidido que tenho que mudar, só espero que não seja para pior. Desta última consulta posso apenas dizer que continua tudo bem (segundo observações muito incompletas da médica), com 7Kg a mais :s, a tensão arterial no limite superior e o João atravessado (com a médica a reforçar que se continuar assim vai ter que ser cesariana... e eu a auto convencer-me que ainda vai a tempo de virar na direcção certa). Só para acabar em beleza, a próxima consulta ficou marcada para as 34 semanas (um mês e meio depois desta), ou seja, em vez de reduzir ou pelo menos manter o período entre consultas, aumentou. É normal? (Ainda se fossem consultas comparticipadas pelo estado...) Depois dessa data já nem marcou mais consultas pois diz que vai de férias na altura do meu parto e por isso vai passar a pasta a outro ("Não se preocupe que fica entregue a um médico como se fosse eu"). Aaaahhhh, que terror! Conclusão, se fizermos uma pequena pesquisa na net pelos procedimentos habituais de uma consulta pre-natal encontra-se:

Os procedimentos de rotina são:

  • Avaliações da tensão arterial e do peso;
  • Testes à urina;
  • Palpação abdominal para medir a altura do útero e verificar a posição e o tamanho do bebé;
  • Auscultação dos batimentos cardíacos fetais;
  • Exame às pernas para eventual detecção de varizes ou edemas (inchaços);
  • Exame ginecológico no início e no final da gravidez.

Logo na primeira consulta receberá o Boletim de Saúde da Grávida.

...e a minha médica só costuma fazer os 2 primeiros items, nunca fez apalpação abdominal, nunca mediu a altura uterina, tendo feito um exame ginecológico numa consulta que fiz ainda antes de engravidar (onde ela concluiu que ia ser muito difícil engravidar e ao fim de 3 meses já estava grávida). Nem o BSG ela me deu na primeira consulta. Se não fossem as ecografias que tenho feito à parte não fazia ideia se o bebé estava bem ou não.

Acho que não estou a fazer má avaliação da médica, pois não?...


quinta-feira, 8 de maio de 2008

Um miminho do pessoal da ****** (censurado)

Num jantar de convívio entre colegas de trabalho do Pê, no meio de muito "mal-dizer", eles decidiram surpreender o Pê com um miminho dirigido ao João. Apesar de só os ter conhecido nesse dia (à excepção de uma ou duas melgas), quero deixar aqui um pequeno gesto de agradecimento pelo fatinho tão fofinho que deram para o João. Obrigada!

domingo, 4 de maio de 2008

Faltam 100 dias...

...desta jornada de aproximadamente 280 dias. Para mim é como alcançar o pódio, cada dia uma vitória! Não tenho pressa que os dias passem, acho até que estão a passar rápido de mais. Quero gozar ao máximo esta magia fantástica de fazer crescer um ser dentro de mim. Passo 24h por dia a fazer as coisas à mercê dele e não à minha, desde o levantar cedo ao deitar cedo, passando pelos mil cuidados que vou tendo durante o dia e a noite para não o magoar e o fazer crescer de forma saudável. Acho mesmo que deixei de pensar em mim e comecei a viver por ele. É engraçado que com o passar do tempo este efeito é cada vez mais intenso, quanto mais não seja porque ele agora faz questão de me lembrar frequentemente que anda cá dentro. Esta comunicação entre mãe e filho já se vai fazendo por linguagem gestual (ou ao pontapé) e acho mesmo que já o vou compreendendo. Quando tem fome, quando se sente apertado, quando não está na posição que gosta, lá vai reclamando. Isto concluo eu, porque depois de comer ou de mudar de posição ele lá se acalma. É um conjunto de coisas que vão acontecendo com o passar dos dias que vai fortalecendo esta ligação entre os dois.
Hoje é dia da Mãe e pela primeira vez estou eu no papel de mãe. É de facto um estatuto que aprecio e não quero perder. O facto de ser um filha carente talvez faça de mim uma mãe totalmente dedicada, até mesmo exagerada. Quero lhe dar aquilo que não tive, quero que ele sinta que vai ter sempre a mãe por perto, na hora de rir e na hora de chorar. Não vale a pena palavrear muito, resume-se tudo em ser Mãe.