Day-by-day

baby

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

1ª consulta no pediatra

Ontem foi dia de ir à pediatra pela primeira vez. Nós estavamos um bocadinho apreensivos porque já tinham passado 19 dias e ainda não tinhamos ido. Mas felizmente estava tudo muito bem.
Tanto o João como a mãe receberam os parabéns da médica. Transformando isto em números o João já pesa 4500gr e mede 54cm e a mãe já perdeu 16Kg.
A partir de agora o João já não precisa de comer de 3 em 3 horas, mas apenas quando tiver fome, o que para nós é bom, pois passava a vida a acordá-lo para comer. Mesmo assim, penso que ele já apanhou algum ritmo e, mais meia hora menos meia hora, tem acordado para comer.
O que tem dado mais que fazer são as cólicas. Definitivamente, ele tem muitas cólicas e quando doem chora a valer (com lágrimas e tudo). A pediatra receitou umas gotas para ver se ajudam um bocadinho e a mãe vai continuando com as massagens na barriguita que são um consolo para o piolho. Na sexta-feira é dia de vacinas vamos a ver como é que corre!

domingo, 24 de agosto de 2008

O parto II

Como o post anterior é chatinho de ler ficam algumas das fotos tiradas no dia do parto (exclusivas)!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

O parto

Finalmente um tempinho para actualizar o blog e para agradecer todo o carinho e força que tenho recebido da família, amigos e visitantes do blog.

Já faz hoje quinze dias que o João nasceu e ainda parece que foi ontem. Correu tudo tão bem, e tem continuado a correr, que dá vontade de ter uma dúzia de filhos ;). Os pormenores que se seguem são um tanto ao quanto chatos para ler. Acredito vivamente que ninguém tenha paciência para ler, mas fica o registo para mais tarde recordar...

Como eu já tinha dito, o parto foi de cesariana e já tinha sido marcado na última consulta. O dia ficou no segredo dos deuses (quase) porque eu e o Pê queriamos viver o momento a dois com muita cumplicidade, sem stresses e sem preocupar ninguém. Fomos uma bocadinho egoístas, desculpem aqueles que também queriam participar, mas era demasiado importante para partilhar. Como soubemos uma semana antes deu tempo para preparar tudo para receber o João da melhor maneira. Foram feitas as compras de última hora, as arrumações na casa e tentamos gozar os últimos dias a dois, a fazer aquilo que sabiamos que tão cedo não poderiamos fazer. Coisas tão simples como tomar café com os amigos, beber umas caipirinhas, fazer praia...jogar poker :):)! Foi uma semana em grande, com toda a gente a dizer que tinha que descansar para me preparar para os dias que ai vinham... mas eu sou demasiado irrequieta para essas coisas, nem mesmo a constipação me parou!

O dia 7 lá chegou, dormimos bem, acordamos bem dispostos, tiramos as últimas fotografias à barrigona e lá fomos nós para a clínica. A cesariana estava marcada para as 11h, mas às 10 e pouco já eu estava instalada no quarto 12 (o melhor da clinica, segunda as enfermeiras) na treta com o Pê e calminha (como sempre). A equipa médica ia aparecendo aos poucos. Primeiro a enfermeira, depois o obstetra, a enfermeira parteira e até a anestesista se apresentou. Comentário à parte, o Pê não sabia que haviam anestesistas tão jeitosas como aquela morena de tacão alto que entrou por ali a dentro :D!
A enfermeira parteira pôs-me a fazer um CTG para ouvir o batimento cardiaco do piolho e só por curiosidade para ver se haviam contrações. Para variar o João estava calminho e contrações nem vê-las. Por volta das 11:30 lá fomos nós para a sala de partos que ficava no andar de baixo. Eu queira ir a pé e as enfermeiras riram-se e lá me obrigaram a ir deitada na caminha (ainda estou para perceber porquê, não me doia nada!). Quando me passaram para a marquesa o primeiro sinal de nervosismo apareceu, por muito que me esforçasse não consiga parar de tremer . Achei mesmo estupido e só consiga pensar : "porque é que as pernas não param de tremer?".

Deu-se início ao espetáculo: ligaram-me fios e mais fios e a puseram as máquinas a apitar. Quando a anestesista me mandou sentar, as pernas lá pararam de tremer (acho que era sangue a mais no cerebro por estar deitada) e claro que veio o medo da epidoral. Dizia para mim mesma repetidamente, "isto não custa nada"...e não custou. Faz uma impressãozinha mas é perfeitamente suportável e indolor. Passados poucos minutos já não conseguia mexer as pernas sozinha e já estava rodeada de gente (eram oito da equipa médica). As tensões estavam altas (acima dos 16) e a anestesista confiante disse que era optimo para aguentar a anestesia sem desmaiar. Optimismo a mais, pois elas desceram e eu é que tive que avisar que ia desmaiar. Nada como uma mangueirinha a lançar oxigénio para a cara para voltar ao estado normal. Quando dou por mim já tinha o Pê sentado ao meu lado "com a mangueira na mão" ;)! Ah pois, ainda não tinha dito, mas o Pê depois de muita indecisão optou por ir assistir. E pelos vistos adorou! Acho que estava tão excitado com a situação que se esqueceu da parte do sangue e das agulhas de que tanto tinha medo.

Posto isto, já só faltava pôr o rapaz cá fora. As enfermeiras deram um empurrãozinho na barriga e às 11:52 já o João chorava, todo engasgado. Eu não vi, mas o pai fotografou, o João virado de cabeça para baixo com uma circular no pescoço. O obstetra mostrou-mo num relance e levaram-no logo para o limpar e vestir.

Esta foi de longe a pior parte! Senti-me completamente sozinha, apesar da equipa medica continuar à minha volta. De um momento para o outro fiquei sem o meu João, que tinha andado colado a mim durante tanto tempo, e sem o Pê que foi a correr atrás dele (tinha pedido previamente ao Pê para não o perder de vista). Só o ouvia a chorar na sala ao lado, com conversas e risos à mistura das enfermeiras que estavam a tratar dele. Este foi o aspecto mais negativo de fazer cesariana, não poder pegar logo, logo no meu filhote!

Entretanto, ficaram a tratar de mim, a coser, a administrar antibióticos e coisas do género. Pelos vistos reagi mal à medicação porque as tensões voltaram a descer e acabei por vomitar. Nada de grave!

Ainda estava na parte de cosedura quando aparece o pai Pê com o nosso filhote já vestidinho todo embrulhado numa mantinha. Foi o meu primeiro contacto com ele. ....hhhaaa, acho que não tenho adjectivos para descrever o que senti. Demasiado emocionante, nós os três juntos pela primeira vez. Penso que é uma imagem que tão cedo não vai desaparecer da minha memória.

E pronto, em menos de uma hora já estava de volta ao quarto deitada com o meu piolho a tentar amamentar. As horas que se seguiram não foram as melhores porque passou o efeito da anestesia e começou-me a doer todos os pontos do corpo. Valeram umas doses de morfina para aliviar um bocadinho mas não o suficiente para me conseguir mexer sem dor. Enfim, foi uma noite longa marcada pela fome e muita, muita sede, já que não podia beber nem comer. Para ajudar à festa estava toda ranhosa e cheia de tosse, ainda da constipação. As enfermeiras insistiam para que eu dormisse, mas não conseguia. Só mesmo depois de já ter nascido o sol é que dormitei uma meia-hora, minutos preciosos estes que me retiraram metade das dores. Incrivel, como dormir faz tão bem!

Durante a manhã já só queria sair da cama e tomar um banho. Tinha suado a noite toda e tinha comichão em todo o corpo. Perguntei se o podia fazer a uma das enfermeiras e ela disse que só à noite. Voltei a perguntar a outra e ela disse: "Se se conseguir levantar, pode ir!". Palavras mágicas, acho que se tivesse que ir de gatas, ela deixava, tal era o meu desespero :). E sim, consegui levantar-me e tomar um duche rapido. A partir daí já ninguém me apanhou mais na cama. O médico quando lá entrou deu-me os parabéns pela recuperação e riu-se. "Por este andar amanhã tenho que vir aqui, depois do torneio de golf, para lhe dar alta!". Fiquei radiante, estava convencida que ia ter que ficar ali até segunda-feira e afinal no sábado já estava em casa. Foi uma cesariana de 48h, mais rápido que muitos partos normais.

A primeira grande dificuldade com o João, foi amamentar. O João comia desalmadamente e o colostro não chegava para lhe tirar a fome. Na clínica davam-lhe sempre o suplemento e por isso quando cheguei a casa tive que fazer o mesmo. O stresse foi tanto que o pai foi na mesma noite comprar material para facilitar a preparação dos biberões. Sim, eu estava decidida a amamentar e por isso não tinha comprado nada. Só ao quarto dia é que o leite desceu e consegui arrumar com os biberões. Desde então que o João nunca mais bebeu suplemento e aparentemente não precisa.

Tirando isto, tem tudo corrido lindamente. O João come e dorme, de dia e de noite. Tenho mesmo que ir acordá-lo para comer, senão acho que dormia a noite toda. É um soneca como o pai :)! Todos me perguntam se ando cansada e a dormir mal. Não, durmo bem, com a interrupção de uma horita para mamar a meio da noite. Só espero que continue assim, sem problemas!


sábado, 9 de agosto de 2008

Já somos 3...

...em casa. O JOÃO nasceu há dois dias, dia 7 de Agosto, de cesariana electiva com 3900gr e 51cm. Correu tudo tão bem que ao fim de 48h já estamos todos em casa. Apesar de estarmos todos rotos e cansados, estamos muito felizes!

Para já fica só a novidade, depois conto mais promenores!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Mesmo na recta final...

... e depois de aguentar bem firme estas 40 semanas, parece que o corpo decidiu fraquejar e estou com uma valente constipação :(. Com esta já não contava, mas parece que veio mesmo em força e não está a dar tréguas. Ao terceiro dia decidi ligar ao médico e ele lá me receitou uma data de medicamentos, para o nariz entupido, para a garganta, o inseparável benuron e um antibiótico. Decidi deixar de parte o antibiótico porque acho que não vai ser nada favorável para o meu piolho. Só mesmo no caso de aparecer uma febre é que o tomo.
Apesar de tudo, o João continua a preferir estar dentro da mãe, por muito apertadinho que esteja e não vai ser uma constipaçãozeca que vai levar a melhor!
Está tudo preparado para ele nascer, acho que finalmente até eu já estou pronta e com muita vontade de ver o meu pequenino. Venha ele!!!