Day-by-day

baby

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Mimo ou não?

Estão sempre a dizer que o João é um mimado, e que só chora porque lhe dou muito mimo. Eu cá acho que ele não é assim tão inteligente para fitar os pais com o choro. Se ele chora é porque quer comunicar, é porque alguma coisa não está bem, ou simplesmente porque quer atenção dos pais. E eu não vou deixar de lhe dar atenção só porque acham que ele fica mimado. Fica um artigo interessante que encontrei e que explica muito bem a minha posição sobre mimo.

Should I worry about spoiling my baby?

No. Young babies are completely spoil-proof. Your baby needs all the care and attention you can give. Ignore the advice of well-meaning relatives who think babies need to learn independence. Instead, listen to your parental instinct — that inner voice that tells you to comfort your baby when he cries.

"Spoiled children" have learned to use negative behaviour to get what they want. But your baby is too young to purposefully manipulate or annoy you. He cries to communicate his needs, whether they're for a snack, a dry diaper, or a little cuddling with Mom or Dad. When you respond quickly to your baby, you're building his sense of self-worth. You're also establishing a foundation of trust that can last for years to come.

If you give your baby prompt attention, he'll feel more secure and less anxious, giving him the courage to explore the world on his own. And once he understands that you take his cries seriously, he'll be less likely to cry for no reason. In the long run, responding quickly to your baby's needs will make him less clingy and demanding, not more.

By the time your baby is 6 to 8 months old, he'll be paying close attention to cause and effect — noticing, for instance, that his bowl falls when he drops it from the highchair. He'll also start to see a direct link between his actions and your responses. At this point it's okay to set some limits. If your baby starts crying to get something he doesn't need, hold your ground and give him a hug when he calms down. Similarly, give hugs and praise for good behavior and gently redirect him when he's doing something hazardous.

The right blend of love and guidance will eventually help your child understand his place in the world. But for now, your focus should be on giving him as much attention and comfort as you can. No matter how much you give, it's not more than he needs.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

FCP vs SCP...

...continua no ar qual será o clube que o João vai escolher, isto porque a mãe é portista e o pai sportinguista.
No passado domingo tivemos a ver o jogo de futebol do SCP-FCP e ficou prometido que se o Porto ganhasse o João iria vestir o equipamento do Porto que herdou do pai. Sim, porque o pai mal nasceu veio um portista ferrenho que lhe ofereceu o equipamento.


Mesmo assim ele preferiu ser sportinguista (vai-se lá entender porquê). Só espero que o filho não lhe siga as pegadas. Viva o FCP.



Nota 1: na primeira fotografia temos o pai P., vestido a rigor.
Nota 2: a camisola não serviu ao João! Não sabemos bem porquê, mas também não era esta a que o pai tinha vestida. Temos que perguntar à avó!!
Nota 3: também tiramos com o cachecol do sporting para o pai não ficar triste :)

sábado, 8 de novembro de 2008

3 meses

Eu sei que isto de andar a festejar o nascimento do João todos os meses pode parecer exagerado, mas a verdade é que festejo todos os dias desde que ele nasceu (só não posso é andar a comer bolinho todos os dias :)).
O João já parece um menino crescido (como podem ver nas fotos), mas continua uma fofura de bebé. Ele interage cada vez mais com as pessoas, devolvendo-lhes sorrisos e gargalhadas ou até mesmo um beicinho de descontente. Já acha piada aos brinquedos apesar de não os conseguir agarrar (mas já se vai esforçando).
Crescer é muito positivo, mas também tem os seus aspectos menos positivos. Tenho notado que o João já começa a ter medo de barulhos repentinos, de movimentos mais bruscos. Faz beicinho quando se depara com algumas pessoas e até já sabe quando falam mais rispido com ele, pois desata numa choradeira.
No que toca a dormir, está muito menos dorminhoco e quer permanente atenção quando está acordado. Apesar da mãe dizer que tem boas noites de sono o João continua a acordar de 3 em 3 horas para comer. O que me vale é que ele mama em 5 minutos e volta a dormir, por isso é que não me queixo.
A última novidade é que já se consegue sentar mais direitinho. Afasta as pernas e ergue a cabeça para se equilibrar e parece que fica todo contente com o novo ponto de vista. Observa tudo com muito cuidado, fixando pontos novos durante algum tempo e procurando tudo o que mexe, faz barulho e é colorido (ou seja, não é nada superdotado :)).
Decididamente, o João está viciado na mãe porque, mesmo no colo do pai, segue a mãe com o olhar para todo o lado. Acho que não vai ser nada fácil daqui a um mês quando tiver que voltar ao trabalho. Até ao final do ano ele ainda vai ficar com o pai em casa, mas em Janeiro vai conhecer o infantário, novas caras, nova cama, um ambiente totalmente novo e não sei se vai gostar muito da ideia de não ter a mãe por perto. Na verdade, acho que me vai doer mais a mim do que a ele, mas ainda falta um mês e vou aproveitar todos os segundos para estar com ele. Isto de ser mãe é muito bom, mas dói um bocadinho!

Ontem o João teve direito a mais um bolinho de maçã (receita tirada deo site do Dani), que estava um bocadinho escangalhado, mas estava muito bom. Os papás aproveitam sempre a deixa para se divertirem e brindaram com champanhe e uns copinhos de ginga que os amigos C. e H. trouxeram.



terça-feira, 4 de novembro de 2008

As mãos


Já há uns dias que o João tem vindo a descobrir as mãos. E como seria de esperar ele agora não tira as mãos da boca, consegue introduzi-las quase por inteiro :s. Até fico angustiada com medo que ele se engasgue. Conclusão, com a descoberta das mãos lá tivemos nós que introduzir as babetes, pois agora são rios de baba que saem pela boca fora. Mesmo quando está a ver TV faz bolinhas com a saliva e molha-se todo. É giro vê-lo a olhar para as mãos e a tentar agarrar o que lhe aparece pela frente.


É uma Maria...

...a prima do João. Ficamos a saber da novidade hoje e estamos muito felizes pelos futuros papás. Esperamos que corra tudo muito bem e que nasça uma rapariga bonita e saudável!

Parabéns!